Geral

Brasil afasta zebra, bate Canadá e volta à semi da Liga Mundial após fiasco de 2012

O recorde negativo de não chegar às semifinais da Liga Mundial ficou em 2012. Nesta sexta-feira, a seleção brasileira masculina de vôlei travou uma dura batalha contra o Canadá pelo último jogo da segunda fase em Mar Del Plata (Argentina), mas fez valer seu favoritismo e não deixou que a zebra que bateu a Rússia […]

Arquivo Publicado em 19/07/2013, às 20h25

None
2131250621.jpg

O recorde negativo de não chegar às semifinais da Liga Mundial ficou em 2012. Nesta sexta-feira, a seleção brasileira masculina de vôlei travou uma dura batalha contra o Canadá pelo último jogo da segunda fase em Mar Del Plata (Argentina), mas fez valer seu favoritismo e não deixou que a zebra que bateu a Rússia ontem atacasse novamente. Os comandados de Bernardinho venceram por 3 sets a 0 (25-18, 30-28 e 25-20) e voltaram à semi da competição após um ano de jejum. De quebra, ainda levaram junto a Rússia, segunda da chave E, de quem perderam na quarta-feira e para quem caíram na final olímpica de Londres-2012.


Para o jogo desta sexta, o Brasil não pôde contar com Leandro Vissotto, com um edema no joelho direito, mas Wallace, seu substituto, deu mais do que conta do recado. O jovem oposto foi o atacante mais efetivo e regular da seleção durante toda a partida e mostrou novamente ter condições de brigar pela vaga quando o veterano voltar.


O adversário das semifinais de amanhã ainda está indefinido e sairá do grupo D. Itália e Argentina se enfrentam nesta sexta, às 20h. Se os italianos confirmarem o favoritismo, ficarão em primeiro lugar na chave e enfrentarão a Rússia, deixando a Bulgária no caminho do Brasil. Caso a Argentina surpreenda e vença por 3 sets a 0 ou 3 a 1, os classificados serão decididos nos critérios de desempate.


O jogo


O primeiro set ficou marcado pelo alto número de erros, tanto das equipes quanto da arbitragem. Quando o Canadá chegou à frente ao primeiro tempo técnico (8-5), seis dos 13 pontos disputados já haviam sido finalizados com falhas dos jogadores. Ao longo da parcial, esse número continuou aumentando muito, até chegar a 18 pontos (10 favoráveis ao Brasil).


Quem mais se beneficiou de tanta imperfeição foi a seleção brasileira. Após um erro da arbitragem que não permitiu desafio (outras duas marcações no set foram contestadas e revogadas, uma para cada lado), os canadenses viram os brasileiros encostarem no placar e se desconcentraram. Depois de empatar em 11-11, os comandados de Bernardinho deslancharam no marcador, aproveitando-se de boa atuação de Bruninho e dos jogadores de ponta (Wallace, Dante e Lucarelli), chegaram a abrir sete pontos de vantagem e fecharam com 25-18.

Jornal Midiamax