Geral

Aplicativo reforça trabalho e dá celeridade nas chamadas por táxi na Capital

Para os que não gostam muito da música da Radio Táxi nas chamadas uma novidade pode ser a solução. Por um aplicativo de celular o cliente de Campo Grande já pode chamar um táxi. Uma inovação que só não é melhor porque a maioria dos motoristas deste serviço de transporte não têm intimidade com smartphones. […]

Arquivo Publicado em 21/07/2013, às 19h08

None
1659732050.jpg

Para os que não gostam muito da música da Radio Táxi nas chamadas uma novidade pode ser a solução. Por um aplicativo de celular o cliente de Campo Grande já pode chamar um táxi. Uma inovação que só não é melhor porque a maioria dos motoristas deste serviço de transporte não têm intimidade com smartphones.


“Primeiro de tudo o taxista precisa ter um celular com a condição necessária para usar esse aplicativo. Pra mim o Easy Taxi vem pra ser mais uma ferramenta no nosso trabalho. É uma idéia boa porque corta o intermediário, mas existe ainda na nossa classe uma barreira muito grande com relação a novas tecnologias. É quase um tabu” diz o presidente do Sindicato dos Taxistas do Estado de Mato Grosso do Sul (SINTAXI-MS), Bernardo Quatin.


Para o início da implementação a empresa responsável pelo cadastramento dos motoristas não irá cobrar pela Franquia do serviço. A projeção é que no segundo semestre do ano que vem o taxista que tiver interesse pague uma mensalidade para ter clientes dessa maneira. Também haverá comissões por corrida direcionadas para a administradora do aplicativo.


“Baixei mas ainda não fiz o cadastro com a empresa. Se todo mundo começar a usar pode ser que eu use mas por enquanto não. Vi também os comentários de motoristas sobre o programa e reclamações do sistema de cobrança que pede R$ 2,00 por corrida em algumas cidades. Tem corrida que as vezes a gente ganha R$ 5,00 aí como é que fica? Difícil porque tira muito do motorista” conta o taxista Marcelo Maruyama.


Como funciona?


 Em Campo Grande, de acordo com o Sindicato, atuam aproximadamente 1200 profissionais de taxi. O principal meio de chamada para o serviço é o telefone, onde o usuário faz contato para uma das centrais de radio. O tempo de espera médio entre o pedido e a chegada do carro é de 12 minutos. Um dos problemas para o cliente algumas vezes, porém é a não chegada do taxi.


“ Em viagens esse aplicativo é uma mão na roda, porque aqui eu não precisaria. Muito bom pela facilidade de achar um taxi” fala o instrutor de vôo, Paulo Toazza.


Um dos detalhes interessantes do Easy Taxi é que o cliente pode ver a localização do motorista que irá buscá-lo e com isso ter uma idéia da demora para embarcar. Em curto prazo a estimativa é que o aplicativo sirva como algo complementar ao sistema de rádio existente.


“Eu não possuo smartphone mas é um recurso bacana. Com esses atrativos eu usaria, porque é bem mais cômodo pra quem chama. Eliminaria a tensão de saber se o táxi chega ou não” afirma o estudante de Psicologia Bruno Valdo que ainda não conhecia o aplicativo.


Até porque a sua afirmação tem barreiras entre a classe que para a adesão de cada motorista ao aplicativo. O sindicato não tem programado nenhum curso que ajude a difundir ou treinar profissionais para a novidade.

Jornal Midiamax