Geral

Quase 60% dos brasileiros da classe emergente usam roupas de marca

Dos brasileiros pertencentes à classe emergente, 58,7% gostam de usar roupas de marca. Entre eles, 64,2% são homens e 61% mulheres, revela pesquisa feita pelo Data Popular. De acordo com o levantamento, 53% dos emergentes que gostam de usar roupas de marcas optam pelo produto por acharem que elas duram mais. Para 24,6%, é por […]

Arquivo Publicado em 19/01/2012, às 17h07

None

Dos brasileiros pertencentes à classe emergente, 58,7% gostam de usar roupas de marca. Entre eles, 64,2% são homens e 61% mulheres, revela pesquisa feita pelo Data Popular.


De acordo com o levantamento, 53% dos emergentes que gostam de usar roupas de marcas optam pelo produto por acharem que elas duram mais. Para 24,6%, é por considerarem a roupa mais bonita. Nestes quesitos, as mulheres lideram, com 54,5% e 26,2% das opiniões, respectivamente.


Segundo o Data Popular, 14,4% dos emergentes se sentem melhores, ao usarem roupas de marca, enquanto 8% acreditam que, com estas roupas, conseguem chamar mais a atenção das pessoas. Já nestes quesitos, os homens se destacaram, com 15,1% e 8,5%, respectivamente.


A pesquisa também revela que 58,6% dos pertencentes à classe média gostam de roupas de marca, enquanto 70,5% da elite têm a mesma opinião. Para ambas as classes, o motivo para a escolha desses itens é porque duram mais, sendo 55,1% e 50,9%, respectivamente.


Classes socias e a moda

De acordo com a pesquisa, as mulheres, com 46,1%, são mais interessadas em assuntos ligados à moda do que os homens, com 25% de interessados.


Entre as classes sociais, a elite é a que mais possui interessados por moda, com 40,5%, seguida pela classe média (35%) e os emergentes, com 33,1%.


Os representantes da elite, com 56%, também são os que mais concordam que é importante estar na moda, contra 52,1% da classe média e 49,4% dos emergentes.


Segundo o levantamento, 32,8% dos emergentes compram roupas a cada seis meses, enquanto boa parte dos representantes das outras classes compra roupas a cada três meses, sendo 34,4% da classe média e 32,3% da elite.


Fonte de inspiração

Para 25,7% dos emergentes, a roupa das pessoas na rua os inspiram na hora de se vestirem. Já 25,5% afirmaram que se inspiram em revistas.


Na pesquisa também aparecem os amigos como fonte de inspiração, com 18,8%, seguidos pela mãe ou pai (10%), celebridades (8,9%), irmão ou irmã (6%), colegas de trabalho (3,9%) e também os vizinhos (1,2%).


Entre os representantes da classe média, 35,7% afirmam que a maior inspiração vem da roupa que as pessoas que encontram na rua usam; já 31% da elite se inspiram em revistas.


Às compras

Em todas as classes sociais, os consumidores costumam se informar às vezes sobre as tendências da moda antes de comprar.


Para 58,5% dos emergentes, as lojas de rua são a opção na hora de comprar roupa. Já entre os representantes da classe média e da elite, o local escolhido para fazer compras é o shopping, com 61,7% e 77,7% das menções, respectivamente.


Entre os emergentes, os shoppings ficam na terceira posição, com 49,9% das respostas, perdendo para as lojas de departamento, que ficam na segunda posição, com 51,9%.


Outras opções de compra entre os emergentes são as lojas de ponta de estoque (26,8%), lojas de fábrica (22,0%), galerias de moda (19,8%), lojas de marca/grife (16,1%), outlets (10,7%) e supermercados (9,4%).

Jornal Midiamax