Geral

Ponte sobre Rio Paraguai, em Corumbá, poderá ser patrimônio nacional

A Ponte Eurico Gaspar Dutra, localizada na região de Porto Esperança, no município de Corumbá, esteve na pauta de reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural realizada na noite de quinta-feira, 29 de novembro, no Rio de Janeiro. A construção marcou a Arquitetura Moderna brasileira, foi idealizada no início do século XX, como parte da […]

Arquivo Publicado em 30/11/2012, às 18h06

None
1682712163.jpg

A Ponte Eurico Gaspar Dutra, localizada na região de Porto Esperança, no município de Corumbá, esteve na pauta de reunião do Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural realizada na noite de quinta-feira, 29 de novembro, no Rio de Janeiro.



A construção marcou a Arquitetura Moderna brasileira, foi idealizada no início do século XX, como parte da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil do Brasil (FENOB) que, em 1912, tinha seu ponto final em Porto Esperança e precisava chegar à outra margem do rio Paraguai, para garantir a ligação com a cidade de Corumbá e, consequentemente, com a Bolívia.



A proposta de tombamento da ponte foi avaliada, juntamente com outras propostas vindas do país, e o resultado sobre quais bens receberão o registro de tombo deverá ser divulgado somente na próxima semana, segundo informações apuradas pelo Diário junto à Superintendência Regional do Iphan em Mato Grosso do Sul.



O Conselho Consultivo do Patrimônio Cultural, presidido pela presidente do Iphan, Jurema Machado, é formado por especialistas de diversas áreas, como cultura, turismo, arquitetura e arqueologia. Ao todo, são 22 conselheiros de instituições como Ministério do Turismo, Instituto dos Arquitetos do Brasil, Sociedade de Arqueologia Brasileira, Ministério da Educação, Sociedade Brasileira de Antropologia e Instituto Brasileiro de Museus – Ibram e da sociedade civil que avaliam as propostas de tombamento de bens enviados por todo o país.


Jornal Midiamax