Geral

Morreu Charles Colson, condenado pelo escândalo Watergate

Charles Colson, um dos envolvidos no escândalo Watergate, que, ao sair da prisão, tornou-se um líder evangélico, morreu neste sábado, aos 80 anos. Colson, condenado a sete meses de prisão por ter sido o autor intelectual do caso de espionagem, morreu de complicações causadas por uma hemorragia cerebral, informou seu ministério. Durante a campanha para […]

Arquivo Publicado em 21/04/2012, às 23h33

None

Charles Colson, um dos envolvidos no escândalo Watergate, que, ao sair da prisão, tornou-se um líder evangélico, morreu neste sábado, aos 80 anos. Colson, condenado a sete meses de prisão por ter sido o autor intelectual do caso de espionagem, morreu de complicações causadas por uma hemorragia cerebral, informou seu ministério.

Durante a campanha para a reeleição de Richard Nixon, em 1972, Colson contratou o agente da CIA E. Howard Hunt para dirigir uma unidade especial, com o objetivo de descobrir informações que pudessem prejudicar o presidente.

Colson e Hunt faziam parte do “Grupo dos Sete” acusados do Watergate, processados em 1974 por crimes relacionados ao roubo de documentos da sede do Partido Democrata, localizada no Complexo Watergate, em Washington.

Colson foi preso após se declarar culpado de obstrução da Justiça. Ele disse ter experimentado um “despertar religioso” que o levou a fundar a maior organização religiosa para presidiários. Nascido no dia 16 de outubro de 1931, em Boston, Colson morreu no Hospital de Inova Fairfax, Virgínia.

Jornal Midiamax