Geral

Morre na capital jovem que bateu a cabeça ao pular na piscina em Três Lagoas

Morreu em Campo Grande, na madrugada dessa sexta-feira (27), Otacílio Leal Borges de 28 anos, que ficou gravemente ferido após bater a cabeça na borda de uma piscina, quando estava em uma festa, no último sábado (21), em Três Lagoas, a 330 kms da capital. Borges, que trabalhava em uma empresa distribuidora de bebidas, foi […]

Arquivo Publicado em 27/01/2012, às 20h01

None

Morreu em Campo Grande, na madrugada dessa sexta-feira (27), Otacílio Leal Borges de 28 anos, que ficou gravemente ferido após bater a cabeça na borda de uma piscina, quando estava em uma festa, no último sábado (21), em Três Lagoas, a 330 kms da capital.

Borges, que trabalhava em uma empresa distribuidora de bebidas, foi socorrido e encaminhado ao Hospital Auxiliadora, com suspeita de uma lesão na coluna cervical.

Mas devido à gravidade de seu estado de saúde, o rapaz foi transferido à Santa Casa de Campo Grande, onde permaneceu internado até a madrugada de hoje.

Borges era casado com Kátia Pereira Pacheco e tinha dois filhos.

O acidente

O acidente ocorreu por volta das 23h do sábado (21), na piscina de um salão de festas, na Rua João Silva, Jardim Morumbi, em Três Lagoas.

Borges estava em uma festa de confraternização entre funcionários de uma empresa distribuidora de bebidas, quando resolveu se banhar e bateu a cabeça com violência na borda da piscina, ficando gravemente ferido.

O rapaz foi socorrido pelos homens do SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). No Hospital Auxiliadora, foi internado com suspeita de fratura na coluna cervical. Porém, devido à gravidade do ferimento, foi transferido para Campo Grande, por volta das 23h do último domingo (22).

Internado na CTI (Centro de Terapia Intensiva) na Santa Casa da capital, depois de vários exames, os médicos informaram aos familiares que ele corria o risco de ficar tetraplégico.

Na segunda-feira (23), a irmã de Borges, Sônia Maria Leal Borges, de 36 anos, procurou a empresa onde o jovem trabalhava em busca de assistência para os filhos do assistente de motorista, porém a distribuidora de bebidas não se manifestou. A família estava recebendo ajuda de amigos de trabalho de Borges

Orientações do Corpo de Bombeiros

Os profissionais do Corpo de Bombeiros alertam a população sobre os diferentes riscos que os banhistas correm tanto em rios quanto em piscinas. O problema é maior ainda principalmente nessa época do ano (muita gente de férias e estação verão).

Não foi exatamente o caso de Borges, mas é importante lembrar também que, somente nesse início de ano, sete pessoas morreram afogadas em Mato Grosso do Sul.

“No caso de piscinas, evitar aquelas brincadeiras de jogar os outros na água, as pessoas podem bater a cabeça. Também não pular de cabeça, isso pode acontecer somente onde há trampolim, ou seja, onde tem profundidade ideal pra esse tipo de mergulho e piscinas caseiras geralmente não têm esse dispositivo”, alertou o Major Alaerson Muniz, do Corpo de Bombeiros.

O recado é estendido com mais gravidade ainda quando se trata de rios, que podem ter pedras ou paus no fundo e não podem ser vistos pelas pessoas. “As recomendações são basicamente as mesmas em rios ou piscinas. Crianças e adolescentes, mesmo que saibam nadar, têm que estar sempre acompanhados de um adulto, jamais devem ficar sozinhos na água”, alertou o Major Alaerson Muniz, do Corpo de Bombeiros.

Até mesmo os adultos também podem ter cãibras ou outros problemas, como indigestão. “É necessário esperar pelo menos uma hora após a refeição para entrar na água e evitar se banhar quando estiver ingerindo bebida alcoólica. A bebida tira o senso de julgamento, o que pode resultar em acidente grave”, falou o Major.

O Major lembrou ainda que, no caso de clubes, é preciso observar sempre se há salva-vidas para garantir a segurança dos banhistas.


Com informações da Rádio Caçula (Três Lagoas).

Jornal Midiamax