Geral

Manejo do solo é tema do Circuito Aprosoja em Amambai

A utilização do Plantio na Palha revolucionou a agricultura no Centro-Oeste brasileiro. Tem como fundamento o não revolvimento do solo, aliado à cobertura permanente e à rotação de culturas. O sistema traz aumento de produtividade dos grãos, preservação do meio ambiente e melhorias na capacidade produtiva do solo e é tema do Circuito Aprosoja que […]

Arquivo Publicado em 04/09/2012, às 14h20

None

A utilização do Plantio na Palha revolucionou a agricultura no Centro-Oeste brasileiro. Tem como fundamento o não revolvimento do solo, aliado à cobertura permanente e à rotação de culturas. O sistema traz aumento de produtividade dos grãos, preservação do meio ambiente e melhorias na capacidade produtiva do solo e é tema do Circuito Aprosoja que acontecerá em Amambai, no Sindicato Rural, nesta quinta-feira (6), a partir das 9 horas.


 O objetivo do evento é passar informações técnicas, econômicas e políticas sobre o agronegócio, auxiliando os produtores rurais a alcançarem bons resultados na produção. A Aprosoja/MS busca levar aos municípios produtores de grãos informação que ajudem a gerir seus negócios.


Em 2012, a entidade levou diferentes palestras para Dourados, Chapadão do Sul e Maracaju. “Os especialistas irão demonstrar técnicas agronômicas essenciais para a boa produtividade, de acordo com a necessidade dos produtos rurais do município, responsáveis pela escolha dos temas”, comenta Lucas Galvan, diretor executivo da Associação de Produtores de Soja de MS – Aprosoja/MS. 


Em Amambai serão abordados os temas ‘Manejo da compactação do solo no sistema de plantio direto’, ministrado por Henrique Debiasi, doutor em ciências do solo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRS e pesquisador da Embrapa Soja; e o ‘Manejo do solo para convivência com o Pratylenchus’, realizada por Julio Cezar Franchini, que é pós-doutor em química orgânica pelo Consejo Superior de Investigaciones Cientificas em Sevilha, na Espanha.


“A realização do circuito é fundamental para agregar conhecimento aos produtores do interior e contribuir para o trabalho, principalmente dos sojicultores daregião”, apontou o presidente do Sindicato Rural de Amambai, Christiano Bortolotto, que é também diretor da Aprosoja/MS.


Produção agrícola em Amambai


Com aproximadamente 12% do total de seu território voltado para o cultivo de soja e 5,8% voltado para o milho, o município de Amambai, mesmo afetado pela estiagem,registrou bons índices de colheita, conforme apontado pelo estudo daAprosoja/MS e da Federação da Agricultura e Pecuária de MS – Famasul -, o Siga- Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio.


O estudo aponta ainda que acolheita média registrada foi de 42,4 sacas por hectare de soja e 82 sacas demilho por hectare no município. A média do Estado chegou a 42,6 sacas de soja e80,4 sacas de milho.


Conforme Leonardo Carlotto, engenheiro agrônomo e coordenador do Projeto SIGA MS,“os números para o ano que vem tendem a subir, uma vez que a área plantada teráum aumento de 8%, correspondendo a mais 4 mil hectares somente no município”,afirma. Ele demonstra ainda que em MS, esse índice chega a 10%.


As inscrições podem ser feitas antecipadamente no Sindicato Rural de Amambai ou durante a exposição. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (67) 3481-1093.

Jornal Midiamax