Geral

Lideranças deflagram operação contra a compra de votos nas aldeias de Dourados

Lideranças começam hoje (1) operação nas aldeias Bororó e Jaguapiru contra a politicagem na Reserva Indígena de Dourados. De acordo com o terena Celso Mamede, o objetivo é fiscalizar a compra de voto que, muitas vezes, é trocado por cestas básicas, bebidas alcoólicas, transporte e remédios, entre outros. Há duas semanas, representantes das aldeias entregaram […]

Arquivo Publicado em 01/08/2012, às 12h43

None

Lideranças começam hoje (1) operação nas aldeias Bororó e Jaguapiru contra a politicagem na Reserva Indígena de Dourados. De acordo com o terena Celso Mamede, o objetivo é fiscalizar a compra de voto que, muitas vezes, é trocado por cestas básicas, bebidas alcoólicas, transporte e remédios, entre outros.


Há duas semanas, representantes das aldeias entregaram no Ministério Público Federal (MPF) um documento assinado pelos caciques Vilmar Martins Machado (Jaguapiru) e César Isnarde (Bororó), onde consta uma série de motivos que justificariam impedir o livre acesso de não indígenas nas aldeias.


Durante este período, apenas os veículos oficiais não necessitarão de autorização, diz o documento. Foi decidido que, a partir de agora, todas as pessoas que adentrarem a Reserva terão que passar por uma triagem, a cargo das lideranças indígenas. A medida foi tomada principalmente para tentar barrar a entrada de candidatos nas aldeias.


“Servirá como forma de protesto contra o descaso dos políticos locais frente a situação de desprezo que fazem à nossa comunidade, pois todas as vezes que procuramos as autoridades políticas locais, estas dizem que nossos problemas são de responsabilidade federal”, diz trecho do documento, que também foi entregue à Funai e Polícia Federal.

Jornal Midiamax