Geral

Líder indígena é encontrado morto em rio próximo de aldeia em Bela Vista

Líder indígena porta-voz da Assembléia do Aty Guassu, Amilton Lopes, foi encontrado morto ontem (16) num rio perto da Aldeia Pirakua, no município de Bela Vista. Em comunicado oficial à imprensa, lideranças indígenas contam que a vítima também era representante dos indígenas em nível internacional. Conflitos envolvendo indígenas mobilizaram a Fundação Nacional do Índio (Funai), […]

Arquivo Publicado em 17/09/2012, às 11h15

None

Líder indígena porta-voz da Assembléia do Aty Guassu, Amilton Lopes, foi encontrado morto ontem (16) num rio perto da Aldeia Pirakua, no município de Bela Vista. Em comunicado oficial à imprensa, lideranças indígenas contam que a vítima também era representante dos indígenas em nível internacional.


Conflitos envolvendo indígenas mobilizaram a Fundação Nacional do Índio (Funai), que já solicitou do Governo Federal tropas federais para manter a ordem em pelo menos 11 municípios do sul do Estado.


Na Aldeia Arroio Korá, em Paranhos, índios e fazendeiros vivem em conflito desde que a terra foi reconhecida, demarcada e homologada pelo governo federal em 2009. No último dia 10 de agosto houve um ataque na madrugada. Lideranças indígenas informaram à polícia que um índio, desapareceu após a ação de pistoleiros. Naquele dia indígenas guarani-kaiowá fizeram um protesto e ocuparam áreas de uma fazenda no entorno da aldeia.


A Polícia Federal investiga o ataque e o desaparecimento do índio. O órgão destacou ainda que vai apurar, de forma imparcial, todos os atos ilegais que tenham sido cometidos, tanto por índios, quanto por fazendeiros.


Em 18 de novembro do ano passado um cacique indígena desapareceu quando cerca de 40 pistoleiros encapuzados e armados invadiram o acampamento indígena, atirando e agredindo adultos e crianças. O caso ocorreu em Aral Moreira. De acordo com os índios, Nísio Gomes teria sido atingido por disparos e seu corpo levado pelos pistoleiros. A Polícia Federal em Ponta Porã cumpriu sete de oito mandados de prisão. O crime ainda é investigado e a busca pelo cacique desaparecido continua. A PF acredita que ele esteja morto.

Jornal Midiamax