Geral

Idaho traça estratégia para lutar contra desemprego

Nas suas campanhas eleitorais, tanto o republicano Mitt Romney quanto o democrata Barack Obama vêm afirmando que, se eleitos, vão solucionar o problema do desemprego no país. Enquanto isso não acontece, o Estado de Idaho resolveu traçar sua própria estratégia para aumentar o número de vagas na região. E o resultado tem sido positivo, tanto […]

Arquivo Publicado em 31/10/2012, às 22h46

None

Nas suas campanhas eleitorais, tanto o republicano Mitt Romney quanto o democrata Barack Obama vêm afirmando que, se eleitos, vão solucionar o problema do desemprego no país. Enquanto isso não acontece, o Estado de Idaho resolveu traçar sua própria estratégia para aumentar o número de vagas na região. E o resultado tem sido positivo, tanto que o Estado foi um dos que mais criou empregos no último ano.


É difícil de imaginar, mas, em 2007, Idaho detinha um índice de desemprego de apenas 2.9%, de acordo com o Departamento Nacional de Trabalho e Estatística. Com a crise econômica, mais de 50 mil pessoas perderam seus empregos, e o índice subiu para 8.7% em 2011. Mas há um ano a região vem se recuperando e em setembro fechou com 7.6% – o quinto melhor progresso anual entre os 50 Estados.


A solução foi a decisão dos setores público e privado de investir pesado em apenas quatro áreas: Turismo, Energia, Agricultura e Medicina. A ideia é que, ao criar um pólo para estes setores, outras empresas do ramo se mudarão para a região e abrirão postos de trabalho. Mas, focando áreas tão distintas, também querem manter a diversificação da economia e fugir do rótulo de “Estado da batata”.


A iniciativa funcionou muito bem na região metropolitana de Idaho Falls, no norte do Estado, atualmente uma das mais prósperas e com desemprego de apenas 6.2%. O número é motivo de orgulho na cidade, tanto que Linda Martin, diretora de uma organização para desenvolvimento econômico, registrou no cartório a marca “Team Idaho Falls”. A palavra “team” (time, em português) é a soma das iniciais de Turismo, Energia, Agricultura e Medicina.


Sua organização privada, a ‘Grow Idaho Falls’, trabalha para atrair indústrias dentro destes quatro eixos. “Nós orientamos empresários para escolher os melhores locais para suas sedes, contratar e treinar funcionários e expandir os seus negócios na região”, afirma. Para ela, a aposta nessas indústrias é o que tem gerado a recuperação vista nos números. “Cada um destes setores tem se alternado para ajudar a economia; quando um está mal, o outro está bem”, explica.


Um dos seus casos de sucesso é a empresa francesa Areva, que faz enriquecimento de urânio. O grupo vai construir uma sede perto de Idaho Falls em 2014, com investimento previsto de U$3 bilhões. O principal atrativo foi a geografia de Idaho, que proporciona amplo espaço e acesso fácil ao gás natural, mas os incentivos fiscais aprovados em tempo recorde pelos legisladores estaduais também fizeram a diferença.


Para conquistar a indústria de energia o estado também oferece um número crescente de centros de pesquisa e incubadoras, além de programas que facilitam a transferência de tecnologia com laboratórios nacionais. A decisão de apostar no setor é estratégica, já que ambos os candidatos à presidência tem expressado que querem que os Estados Unidos sejam independentes em energia no futuro. E também porque empresas já implantadas, como Battelle Energy Alliance, são as que mais empregam na cidade.


Turismo barato em tempos de crise


Outro foco de investimento tem sido o turismo, já que Idaho é um dos três Estados que abrigam o famoso parque nacional Yellowstone. E Idaho Falls, que fica a apenas duas horas do parque, serve como base para os milhares de turistas que visitam a área a cada ano. Curiosamente, durante a recessão entre 2009 e 2010 houve um aumento de 20% nos visitantes, possivelmente impulsionado pela entrada de apenas US$ 25.


Linda afirma que é importante manter os amantes da natureza por perto, já que fazem da região um local propício para a instalação de empresas de itens esportivos, como a fábrica Hyde, que constrói barcos de pesca . E o número de turistas também serve para captar outro setor: o médico. “Se você for mordido por um urso em Yellowstone, vai querer ser atendido em Idaho Falls” se orgulha.

Jornal Midiamax