Geral

Hospital Universitário inaugura reforma e diretor se recusa a explicar ação do MPF

O Hospital Universitário realizou na manhã desta quinta-feira (18), a inauguração da ampliação da Clínica Cirúrgica, CTI Pediátrico, Pnenumologia e dos serviços primários de diagnósticos – Raio X e Tomografia. Na ocasião, diretor-geral do HU, José Carlos Dorsa se recusou a comentar sobre a ação do MPF (Ministério Público Federal) que obriga o funcionamento de […]

Arquivo Publicado em 18/10/2012, às 17h54

None
529613552.jpg

O Hospital Universitário realizou na manhã desta quinta-feira (18), a inauguração da ampliação da Clínica Cirúrgica, CTI Pediátrico, Pnenumologia e dos serviços primários de diagnósticos – Raio X e Tomografia. Na ocasião, diretor-geral do HU, José Carlos Dorsa se recusou a comentar sobre a ação do MPF (Ministério Público Federal) que obriga o funcionamento de radioterapia no HU.


Devido à insistência do Midiamax em questionar o motivo pelo qual o hospital pediu a exclusão do programa do Ministério da Saúde para o Plano de Expansão da Radioterapia no SUS, que destina parte da verba de R$ 505 milhões para vários hospitais, incluindo o HU, a reportagem foi convidada a se retirar do local.


Um funcionária da assessoria de imprensa tentou determinar o que o repórter do Midiamax poderia perguntar e não soube dar uma declaração oficial sobre o assunto, tento que acionar a chefe da assessoria, Daniela Ota.


Na tentativa de acalmar os ânimos, Daniela Ota colheu os questionamentos e informou que Dorsa irá respondê-los em outro momento.


Inauguração


A reforma de ampliação do Hospital Universitário teve um custo de 2,608 milhões, de acordo com a assessoria da entidade.


Foram destinados R$ 590 mil para o Centro de Tratamento Intensivo Pediátrico; R$ 790 mil para reforma e ampliação da Clínica Cirúrgica; R$ 74 mil para a Pneumologia e R$ 1,154 milhão para o setor de Serviço Primário de Diagnósticos.


Conforme o hospital, a Clínica Cirúrgica começará a funcionar assim que receber as camas elétricas, com previsão de chegada para a próxima semana. A ampliação proporciona um total de 35 leitos, oito a mais que os números atuais.


O hospital informou que, apesar da abertura de novos leitos, que proporcionará uma melhora no atendimento, a número de pessoas atendidas continuará superior a capacidade da entidade.


Ao todo, 13 médicos docentes e administrativos farão parte da equipe de atendimento, além de 14 residentes.


Entenda o caso


Em maio de 2012, o Ministério da Saúde lançou o Plano de Expansão da Radioterapia com investimento de R$ 505 milhões em 80 hospitais, cinco deles em Mato Grosso do Sul.


Atualmente os serviços de radioterapia do SUS em Campo Grande estão concentrados no Hospital do Câncer Alfredo Abraão e na Santa Casa, que terceiriza para a clínica Neorad.


Na lista dos hospitais públicos, o HU está em 1º lugar como prioridade no Estado para receber estes recursos do Ministério da Saúde, mas pediu sua exclusão do programa.


No último dia 02 de outubro de 2012 o MPF (Ministério Público Federal) entrou na Justiça, com pedido liminar, exigindo que o HU receba os investimentos e o aparelho do Governo Federal, para tartamento de combate ao câncer.


O juiz da 1ª Vara Federal deu despacho nesta quarta-feira (17) ao pedido e intimou a União e a UFMS a se manifestarem sobre o pedido de liminar do MPF, no prazo de 72h. O Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde também foram comunicadas sobre o caso.


Em sendo concedida a liminar, seu descumprimento acarreta a Reitora Célia Maria Oliveira e o diretor-geral, José Carlos Dorsa, multa diária de R$ 3 mil.

Jornal Midiamax