O empresario Walter Paulo Santiago negou que tenha agido em nome de Carlos Cachoeira, e disse que comprou uma casa do governador de Goiás, Marconi Perillo, para uma de suas empresas, Mestra, criada para atuar no ramo imobiliário. Walter é dono da Faculdade Padrão, uma rede de faculdades que atua em Goiás e no Tocantins.

Ele negou que tenha pago com cheques, disse ter pago R$ 1,4 milhao em dinheiro a Wladimir Garcez e Lucio Fiuza, que intermediaram a compra. “Se [o governador] recebeu em cheques, não foi dado por mim”, disse.

O governador Perillo vem afirmando que recebeu três cheques (dois de R$ 500 mil e um de R$ 400 mil), que somam R$ 1,4 milhão.

Wladimir Garcez, ex-presidente da Câmara Municipal de Goiânia e acusado de integrar a quadrilha de Cachoeira, intermediou a compra e admitiu ter oferecido o imóvel ao governador Perillo. Walter disse que pagou em dinheiro a Garcez, e ele poderia ter pago ao governador com cheques de Leonardo Almeida Ramos, sobrinho de Cachoeira.

Em sua defesa, ele disse que foi candidato a vereador em Goiânia, a convite da oposição ao governador Perillo.