Geral

Em pé de guerra político, Alcinópolis chega aos 20 anos

O município de Alcinópolis, localizado na região norte de Mato Grosso do Sul, completa neste domingo, 22 de abril, 20 anos de emancipação. A programação para hoje começou com uma cavalgada as 8h e está programado um almoço, a partir das 11h. Mas nem tudo é festa, já que desde o assassinado do então presidente […]

Arquivo Publicado em 22/04/2012, às 12h48

None

O município de Alcinópolis, localizado na região norte de Mato Grosso do Sul, completa neste domingo, 22 de abril, 20 anos de emancipação. A programação para hoje começou com uma cavalgada as 8h e está programado um almoço, a partir das 11h. Mas nem tudo é festa, já que desde o assassinado do então presidente da câmara municipal, vereador Carlos Antônio Carneiro, no dia 27 de outubro de 2010, os ânimos políticos ficaram tensos.

Carlos Antônio foi assassinado a tiros, na Avenida Afonso Pena com a Rua Alegrete e a autoria foi esclarecida no mesmo dia, porém quem seria o mandante ainda não foi levado ao banco dos réus. Desde a morte do vereador, um pé de guerra começou entre o então prefeito Manuel Nunes (PR) e o seu vice, Alcino Carneiro (PDT), pai do vereador morto.

Desde o primeiro momento da morte do filho, Alcino Carneiro começou a apontar como mandante do crime o prefeito Manuel Nunes, que chegou a ser preso e trazido a Campo Grande, juntamente com vereadores e outras pessoas que supostamente teriam ligação com o assassinato.

O vice-prefeito de Alcinópolis, que atualmente ocupa o cargo de prefeito, afirmou que o filho tinha vindo a Campo Grande para apresentar ao Ministério Público Estadual denúncia contra o prefeito.

Na semana passada mais um capítulo foi escrito: O Tribunal de Justiça considerou ilegal a suspensão do salário de Manoel Nunes como prefeito. Nunes sustentou também que a ordem judicial que o afastou do cargo por ocasião de sua prisão não determinou a perda do mandato e, tampouco, a suspensão dos seus subsídios como prefeito.

Jornal Midiamax