Geral

Em Campo Grande, eleitora descobre que votaram em seu lugar

A administradora Flávia Araújo Gonçalves, de 29 anos, acordou cedo para votar neste domingo (07), mas em vão. Ao chegar na zona eleitoral n° 054 da Vila Alba, em Campo Grande, descobriu que já teriam votado em seu lugar. “Eu cheguei e quiseram me dar o comprovante de voto mesmo sem eu ter votado”, explicou. […]

Arquivo Publicado em 08/10/2012, às 18h46

None

A administradora Flávia Araújo Gonçalves, de 29 anos, acordou cedo para votar neste domingo (07), mas em vão. Ao chegar na zona eleitoral n° 054 da Vila Alba, em Campo Grande, descobriu que já teriam votado em seu lugar.


“Eu cheguei e quiseram me dar o comprovante de voto mesmo sem eu ter votado”, explicou. A ela, os mesários disseram que tinham cometido um erro na hora de liberar a urna para outra votante.


Eles explicaram que são duas pessoas na mesa: uma para destacar o comprovante de eleição e outra para digitar o número do título que vai liberar a urna eletrônica. Uma mesária destacou dois comprovantes de voto e a pessoa que digita o título acabou usando o número do documento de Flávia.


“Então a pessoa que estava lá na hora votou no meu título. Quando ela terminou de votar, eles perceberam o erro e liberaram a urna novamente, mas com o título dela. Ou seja, a pessoa que votou no meu título votou duas vezes”, conta a administradora.


Ela questionou por que não deixaram o número do título da pessoa que votou em seu lugar guardado para ela, ao invés de deixá-la votar duas vezes, para que ela tivesse também o direito de eleger seus candidatos. 


“A gente não sabia se a senhora vinha ou não votar e resolvemos não arriscar”, foi a resposta que ela obteve dos mesários. Ela assinou uma ata registrando o que aconteceu e ligou para o disque denúncia do TRE para registrar o caso.


“Um amigo meu, que é juiz, explicou que nesses casos eles podem até impugnar a urna por causa do erro, mas no TRE não me deram resposta nenhuma, só falaram que os juízes vão analisar o caso”, reclamou.


Ela voltou para casa com um comprovante de votação e teve que assinar que votou no registro que fica com os mesários. 

Jornal Midiamax