Geral

Desembargadores acatam denúncia contra prefeito afastado de Alcinópolis

Por cinco votos a zero, os desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul acataram a denúncia contra o prefeito afastado de Alcinópolis, Manuel Nunes.

Arquivo Publicado em 10/01/2012, às 17h59

None
1443786153.jpg

Por cinco votos a zero, os desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul acataram a denúncia contra o prefeito afastado de Alcinópolis, Manuel Nunes.

Na tarde desta segunda-feira (10), por cinco votos a zero, os desembargadores do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul acataram a denúncia que traz o prefeito afastado de Alcinópolis, Manuel Nunes, como um dos mandantes do assassinato de Carlos Antônio Costa Carneiro. O ex- vereador foi morto com três tiros, no dia 26 de outubro de 2010, na Rua Guia Lopes, esquina com a Avenida Afonso Pena.

No dia 8 de novembro de 2011, dois desembargadores acataram o pedido da procuradoria, um pediu vistas do processo e dois se abstiveram. Ainda será decidido pela Justiça se o julgamento vai a Júri Popular ou pelos próprios juízes. “Foi muito difícil, foi muito tempo esperando esse dia, mas graças a Deus resistimos até hoje. E finalmente a justiça está começando a ser feita”, comemorou sr. Alcino Carneiro, o pai do vereador assassinado.

Alcino, um dos principais fundadores do município de Alcinópolis, estava visivelmente emocionado após a votação e recebendo os cumprimentos de parentes e amigos. No Tribunal de Justiça, no Parque dos Poderes, mais de 150 pessoas, vestindo camiseta com a foto de Carlos Antonio e exigindo justiça, acompanharam a votação de hoje. “Não convoquei ninguém, não tenho condições de pagar esse povo. Todos vieram por conta própria porque também têm sede de justiça”, complementou Alcino.

“Agora vamos esperar que a justiça marque logo o julgamento porque ele (Manuel, o prefeito afastado) e os demais têm que pagar pelo crime que cometeram”, desabafou o irmão do vereador morto a tiros, Helder Costa Carneiro.

Outras opiniões sobre a votação

Altamiro Guimarães, atual secretário de obras de Alcinópolis, que já foi vereador por 4 mandatos também acompanhou a sessão. “Um pouco tarde, mas pelo menos está tendo justiça. A gente até pensou que ia cair no esquecimento, mas agora a gente fica um pouco mais aliviado”, falou Altamiro.

A irmã do vereador assassinado, Rosângela Costa Carneiro, disse que essa foi uma votação expressiva, que representa o anseio da população. “Muito favorável, com certeza, 5 a 0, uma votação maciça, até a sociedade esperava isso da justiça. Esse ainda é apenas o início de uma grande batalha, mas tem que condenar sim, porque senão mais crimes como esses vão acontecer”, resumiu Rosângela.

Mais indiciados

De acordo com os familiares, mais três pessoas foram indiciadas pela morte do vereador, são eles: o presidente da Câmara Municipal de Alcinópolis, Valter Rossi; o vice- presidente da Câmara, Valdecir (conhecido como Passarinho); e o secretário municipal Eline Queiroz (Ênio).

Lembrando que três homens continuam presos: o autor dos tiros, o condutor da moto e um terceiro, que teria recebido contratado os matadores. De acordo com a família do vereador assassinado, o julgamento desse grupo está marcado para o próximo dia 24 de fevereiro.

Matéria editada para acréscimo de informações às 16h50.

Jornal Midiamax