Geral

Denúncias de irregularidades param eleições para Conselho Regional de Educação Física

Após contagem de voto, Chapa vencida acusa Cref de irregularidade nas eleições. Situação afirma que não há problemas

Arquivo Publicado em 18/09/2012, às 13h35

None

Após contagem de voto, Chapa vencida acusa Cref de irregularidade nas eleições. Situação afirma que não há problemas

A eleição para renovar o quadro de conselheiros do Cref11/MS-MT (Conselho Regional de Educação Física da 11° Região) ocorreu na última sexta-feira (14/9), porém ainda não foi concluído. A Chapa 2 – Renovação Cref -, da oposição, perdeu pela diferença de dois votos e acusa a situação de irregularidades.

De acordo com a denúncia, após a contagem preliminar, que dava a vitória a Chapa 2, foram encontrados 45 cartas voto que estariam “misteriosamente” sobre um móvel na sede do Conselho em Campo Grande, o que alterou o resultado. A oposição ainda afirma que os votos computados não coincidem com o número de votantes. Em campanha na rede social Facebook, a Renovação Cref pede a realização de nova eleição para o Conselho.

De acordo com a assessoria de imprensa do Cref11/MS-MT, o conselho registra 7 mil profissionais cadastrados nos dois estados, mas para participar das eleições os educadores precisavam estar em dia com obrigações na entidade e apenas 1.113 votaram.

O Cref11/MS-MT ainda explicou que para as eleições os votos são presenciais e por cartas voto. As cartas são chegam às casas dos profissionais que reenviam o voto pelo correio. Por isso, segundo a diretoria, não houve irregularidades.

A pedido da Chapa 2, houve recontagem dos votos ontem à tarde, mas desta vez a diferença de ficou em três votos a para Chapa 1, com 558 votos. Mesmo assim, as eleições não foram concluídas, pois ambas as legendas entraram com recurso.

A definição dos novos conselheiros do Conselho Regional de Educação Física deve ser divulgada na quinta-feira (20/9), após a comissão eleitoral, composta por dois profissionais da classe e um representante da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil), analisar os pedidos de recursos.

Jornal Midiamax