Geral

Conheça mais sobre o novo Motorola Xoom 2, tablet cheio de recursos

A primeira versão do tablet Xoom, da americana Motorola, era interessante, mas não agradou muito o público por causa de seu peso e preço. A empresa decidiu então voltar à prancheta e desenvolver uma nova linha de dispositivos menores, mais leves e com um objetivo específico: entretenimento. Foi assim que a linha Xoom 2 chegou […]

Arquivo Publicado em 06/01/2012, às 18h51

None

A primeira versão do tablet Xoom, da americana Motorola, era interessante, mas não agradou muito o público por causa de seu peso e preço. A empresa decidiu então voltar à prancheta e desenvolver uma nova linha de dispositivos menores, mais leves e com um objetivo específico: entretenimento. Foi assim que a linha Xoom 2 chegou ao mercado. No Brasil, a empresa acaba de lançar a versão Media Edition do produto, que, como o nome sugere, tem como função principal atuar na área de diversão, com livros, filmes e jogos. Vamos conferir.

Especificações técnicas


O Xoom 2 é um tablet com tela de 8,2 polegadas sensível ao toque e resolução de 1.280 por 800 pixels. Ele trabalha com o sistema operacional do Google, o Android, em sua versão 3.2, a Honeycomb – que é específica para esse tipo de dispositivo. Seu processador é um dual-core de 1,2 GHz, que atua juntamente com 1 GB de memória RAM, o que o torna uma boa opção para a reprodução de mídia e dos jogos. Em relação ao armazenamento, o tablet tem capacidade para 32 GB, com suporte para cartões micros que podem adicionar mais 32 GB à conta, chegando a um total de 64 GB.


As câmeras não trazem novidade. A traseira, de 5 megapixels, tem recursos como foco automático, zoom digital e flash de LED, além da capacidade de fazer vídeos em alta definição (HD) A frontal, geralmente utilizada para videoconferências e para autorretratos de redes sociais, tem 1,3 megapixel.


O dispositivo permite ainda conexões Wi-Fi e Bluetooth, além de navegador GPS. As entradas e saídas contam com uma porta micro USB, uma saída Micro HDMI e um conector padrão de áudio de 3,55 mm.


No quesito bateria, o aparelho oferece autonomia de seis horas para navegação e reprodução de vídeos. Se você quiser ignorar as outras funções do aparelho, poderá ficar três dias inteiros só ouvindo música. Por fim, as dimensões (largura, altura e profundidade): 139 x 216 x 8,9 milímetros, que rendem 386 gramas de peso ao aparelho.


Design


O design do Xoom 2 Media Edition é curioso. As suas bordas são chanfradas, o que garante mais conforto ao usuário; o material utilizado no contorno traseiro do aparelho lembra borracha. A combinação, aliada ao (pouco) peso, mostra-se eficaz na hora de ler ou assistir a filmes por longos períodos.


Não existem botões na parte da frente do aparelho. Por exemplo, o famoso botão home – presente na maioria dos eletrônicos da categoria – é completamente virtual. Já o botão para ligar está localizado na parte traseira, bem ao lado do botão de volume.


Aplicativos embarcados


O aplicativo mais divertido do Xoom 2 Media Edition é o Dijit. Ele transforma o tablet em um controle remoto universal, compatível com as principais marcas de aparelhos de som e TVs. Ele trabalha com um transmissor infravermelho, localizado no topo do aparelho.


Para, de fato, entreter o usuário, a Motorola decidiu embarcar aplicativos como o do YouTube e Netflix para a reprodução de vídeos, além do game Homem-Aranha HD. Os principais aplicativos do Google (Maps, Navigation e GTalk) também estão presentes, além do clássico Motocast: com ele, o usuário pode fazer streaming de arquivos do computador para o tablet.


Experiência de uso


Menor do que o iPad e maior que o Galaxy Tab 7”, Xoom 2 Media Edition é um tablet interessante que cumpre bem a sua promessa: ser um dispositivo de reprodução de mídia. Como foi citado, seu design proporciona conforto, enquanto o hardware é suficientemente capacitado para a reprodução de vídeos dentro do aparelho ou via streaming. Os jogos rodam tranquilamente no dispositivo, que não travou durante os testes. Um detalhe: a falta de um modelo 3G pode incomodar usuários que não vivem perto da segurança de uma rede Wi-Fi.


A bateria com seis horas de autonomia é um problema, principalmente quando o modelo anterior, o Xoom, é capaz de segurar o aparelho por mais de oito horas. Claro, neste caso, o processador é mais rápido e exige mais energia, mas a evolução deveria envolver todos os itens. À parte esse detalhe, vale o investimento: 1.299 reais, segundo o fabricante.


Guia de eletrônicos – Compare o Xoom 2 com outros tablets disponíveis no mercado brasileiro


O que é bom
1. Design: torna o aparelho confortável
2. Ótimo reprodutor de mídia
3. Saída HDMI permite a reprodução de filmes na TV


O que é ruim
1. Sem opção 3G
2. Baixa autonomia
3. A Motorola não é conhecida pela durabilidade de seus produtos


Jornal Midiamax