Geral

Comandado por Kaká e Oscar, Brasil faz 6 no Iraque de Zico

A Seleção Brasileira contou com uma atuação destacada da dupla Kaká e Oscar nesta quinta-feira e impôs com naturalidade sua superioridade técnica diante do Iraque. Em amistoso que encerrou a sequência de rivais frágeis para o time de Mano Menezes, a equipe nacional aplicou uma goleada por 6 a 0 no Estádio Swedbank e viu […]

Arquivo Publicado em 11/10/2012, às 19h18

None

A Seleção Brasileira contou com uma atuação destacada da dupla Kaká e Oscar nesta quinta-feira e impôs com naturalidade sua superioridade técnica diante do Iraque. Em amistoso que encerrou a sequência de rivais frágeis para o time de Mano Menezes, a equipe nacional aplicou uma goleada por 6 a 0 no Estádio Swedbank e viu com otimismo o desempenho do meia do Real Madrid, que participou ativamente da partida e inclusive marcou um gol em seu primeiro jogo pelo time pátrio desde a Copa do Mundo de 2010.

Esta foi a quinta vitória consecutiva do Brasil depois da derrota para o México na final dos Jogos Olímpicos. Destes confrontos, apenas um foi realizado diante de uma seleção acostumada a figurar em Copas do Mundo: a Suécia, derrotada por 3 a 0 em agosto. Na sequência, vitória sofrida diante da África do Sul (76ª ranking da Fifa), um passeio de 8 a 0 contra a China (86ª) e hoje um resultado normal contra o 80º time do mundo. Neste período, ainda conta os 2 a 1 a favor em Goiânia quando Brasil e Argentina se enfrentaram com times locais.

A agenda do Brasil até o final do ano prevê jogos contra equipes mais qualificadas. Primeiro o Japão, 23º da Fifa, na próxima terça-feira, na cidade polonesa de Wroclaw. Depois, a vice-líder das Eliminatórias da América do Sul, Colômbia, no dia 14 de novembro, em Nova Jersey. A sequência pode embalar a Seleção para um ano decisivo para Mano, com amistosos contra Inglaterra , provavelmente Portugal e a Copa das Confederações. O técnico ainda sente reflexo do fiasco na Copa América, decepção na final olímpica e derrotas para os grandes Argentina, França e Alemanha.

Meias resolvem e orquestram goleada brasileira

Apesar de ser realizado na Suécia, o ambiente no Estádio Swedbank era favorável aos iraquianos, maioria nas arquibancadas e que fizeram muita festa ao gritar o nome do treinador Zico. Dentro de campo, porém, a superioridade técnica do Brasil ficou evidente apenas a bola rolou na Suécia. Controlando a posse de bola no campo adversário, a equipe de Mano quase abriu o marcador em uma cabeçada perigosa de Kaká, aos 5min, após cruzamento de Oscar – Noor executou boa defesa.

O Brasil continuou pressionando de maneira impiedosa, e o primeiro gol se tornou questão de tempo até que Neymar aparecesse de maneira contundente pela primeira vez: ele se livrou da marcação de iraquianos no meio de campo e enfiou em profundidade para Oscar. O camisa 10 se desgarrou em direção à área e, com um toque sutil, abriu o marcador aos 21min.

O relógio correu apenas um minuto e o Brasil quase ampliou com Paulinho, com um chute rasteiro cruzado que triscou a trave de Noor. No entanto, o segundo gol brasileiro não demorou quase nada a sair: Neymar fez bom passe para Kaká, que rolou para o meio da área e colocou nos pés de Oscar. O atual dono da camisa 10 da Seleção apenas precisou empurrar para ampliar o placar.

O Brasil foi soberano no primeiro tempo e teve boas oportunidades para dilatar a vantagem ainda mais antes do intervalo, mas esbarrou em um inspirado goleiro Noor e também no travessão – Paulinho cabeceou no poste aos 44min. Dono da posse de bola em 65% do jogo e responsável por 16 finalizações (contra somente uma dos rivais), o time de Mano Menezes passou por apenas um apuro: aos 32min, o goleiro Diego Alves dividiu uma bola pelo alto com David Luiz e acertou um murro no rosto do zagueiro, que ficou caído no gramado e precisou receber atendimento médico.

O Brasil aproveitou o segundo tempo para consolidar a goleada na cidade de Malmo e tornar a volta de Kaká ainda mais honrosa. O meia abusou da fragilidade da defesa iraquiana, passeou pela área adversária e chutou firme de canhota para anotar o terceiro da Seleção aos 2min. Hulk repetiu a fórmula oito minutos depois, quando penetrou como quis pelo lado direito da área e guardou o quarto gol nacional.

Kaká já havia deixado o campo sob aplausos, e Mano Menezes testava outros jogadores na equipe, Neymar recebeu lançamento em profundidade, encarou o marcador e bateu colocado. A bola fez uma curva e entrou no canto de Noor, aumentando o placar em 5 a 0 aos 30min do segundo tempo. Antes do apito final, Lucas, que havia substituído o meia do Real, ainda teve tempo de fazer o sexto da Seleção.

Jornal Midiamax