Geral

Cineclube UFGD convida para “O homem do Sputnik” com Oscarito

Às 17h deste sábado (28), o projeto de extensão Cineclube UFGD exibe o filme “O homem do Sputnik” (1959) que traz uma das mais impagáveis interpretações de Oscarito, na pele de um homem simplório cuja vida muda radicalmente depois que um suposto satélite russo cai em seu galinheiro. A sessão será no cineauditório da Unidade […]

Arquivo Publicado em 26/04/2012, às 15h05

None

Às 17h deste sábado (28), o projeto de extensão Cineclube UFGD exibe o filme “O homem do Sputnik” (1959) que traz uma das mais impagáveis interpretações de Oscarito, na pele de um homem simplório cuja vida muda radicalmente depois que um suposto satélite russo cai em seu galinheiro. A sessão será no cineauditório da Unidade 1 da UFGD (Rua João Rosa Góes, 1761, Vila Progresso), com entrada franca.


O filme tem classificação livre, é dirigido por Carlos Manga e é considerado uma das últimas comédias de peso do estúdio carioca Atlântida. Enquanto Oscarito interpreta um homem simplório, a comediante Zezé Macedo, no papel de esposa, oferece um divertido contraponto, sonhando com riqueza e ascensão social. O roteiro de José Cajado Filho introduz um tempero político ao colocar no centro da trama a disputa do objeto pelas duas superpotências da época, os EUA e a então URSS, mas não deixa de incluir também a participação dos franceses, tornando a situação ainda mais rocambolesca. A produção marca a estreia cinematográfica de Norma Bengell e Jô Soares.


Sinopse: A vida de um casal de criadores de galinhas se transforma numa grande confusão depois que um satélite artificial, muito parecido com o russo Sputnik, cai no galinheiro de sua casa, matando alguns animais. Para recuperar o prejuízo, o homem tenta penhorar o objeto e é descoberto pela namorada de um jornalista. O fato repercute, chamando a atenção de espiões internacionais, e logo líderes russos, norte-americanos e franceses passam a mandar missões especiais ao Brasil com o objetivo de recuperar o satélite. Uma curiosidade: à época da realização do filme, o famoso satélite russo Sputnik estava em órbita e havia mesmo uma ameaça de que ele viesse a cair sobre a Terra.

Jornal Midiamax