Geral

Campanha Aceita HU continua recolhendo assinaturas para reativar radioterapia

Além do abaixo assinado on-line, formulários em folhas de papel serão distribuídos nos bairros de Campo Grande

Arquivo Publicado em 31/10/2012, às 19h06

None
49117889.jpg

Além do abaixo assinado on-line, formulários em folhas de papel serão distribuídos nos bairros de Campo Grande

A campanha “Aceita HU” continua recolhendo assinaturas pela reativação do tratamento de radioterapia no Hospital Universitário da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). De acordo com o médico Ronaldo Costa, além de recolher assinaturas por meio da internet, o abaixo assinado também vai percorrer as comunidades por meio de folhas de papel.

A princípio, a coleta das assinaturas foi a forma encontrada pelos trabalhadores da saúde ligados ao Sintess (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social) e apoiadores da causa, de tentar sensibilizar os agentes públicos quanto à necessidade de reativação do tratamento de câncer pela rede pública de MS.

Também, uma forma de apoiar ação civil pública 0010231-89.2012.4.03.6000, protocolado na 1ª Vara Federal de Campo Grande pelo do MPF (Ministério Público Federal), o qual solicitou à Justiça que o HU seja obrigado a receber os investimentos para tratamento de câncer do Ministério da Saúde. Ao processo foram juntadas 860 assinaturas recolhidas por meio da campanha on-line.

Como a Justiça Federal acatou o pedido de liminar no último dia 29 de outubro, os servidores decidiram manter a campanha e coletar o maior número de assinaturas possíveis até a conclusão do processo.

“Vamos continuar a colher assinaturas, agora também em folhas de papel, porque muitas pessoas que gostariam de participar não têm e-mail ou acesso à internet. E vamos alimentar a campanha até o julgamento do mérito, quando se encerra o processo”, declarou Ronaldo.

De acordo com o sindicato, vão ser elaborados formulários que serão distribuídos nas comunidades por meio de instituições, associações, igrejas e outros que tiverem interesse em contribuir.

“Nós acreditamos que esse processo vai em defesa de todo o povo do Estado que é exposto a risco de ter câncer. Agrotóxico, sol, atividade de trabalho e contato com produtos químicos, entre outros fatores de risco. As pessoas passam por esse processo e não têm onde fazer diagnóstico. Quando descobrem o câncer, o tratamento é tardio e qualidade de vida diminui muito por falta de diagnostico precoce”, explicou Ronaldo.

Até o momento, 890 pessoas assinaram a petição on-line. Quem quiser colaborar com as ações em prol da saúde pública e melhoria no atendimento aos doentes de câncer, pode acessar o site e juntar seu nome ao pedido.

Clique aqui para abrir a página da petição pública ou acesse o site por meio do endereço: http://www.peticaopublica.com/?pi=AceitaHU . Também pode ajudar a divulgar, compartilhando a campanha por meio do Facebook, no endereço http://www.facebook.com/AceitaHu.

Jornal Midiamax