Geral

Câmara rejeita reajuste de Nelsinho e ‘congela’ valor do IPTU em Campo Grande

Depois de vários anos aprovando o que o prefeito determina, vereadores alegam ter ouvido a população

Arquivo Publicado em 13/12/2012, às 14h53

None

Depois de vários anos aprovando o que o prefeito determina, vereadores alegam ter ouvido a população

Os vereadores de Campo Grande aprovam o “congelamento” do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). A decisão inédita foi aprovada na sessão desta quinta-feira (13) na Câmara Municipal, quando os parlamentares votaram contra o reajuste de 5,3% do IPTU do Projeto de Lei 7.301/12, proposto pelo atual prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho.

Os parlamentares disseram que aprovaram a emenda para “respeitar a vontade do povo”. A emenda para o “congelamento” foi apresentada pelos veradores Athayde Nery (PPS), Vanderlei Cabeludo (PMDB), Dr. Loester (PMDB), Mário César (PMDB), Grazielle Machado (PR), Airton Saraiva (DEM) e Carlão (PSB).

Apenas os vereadores Dr. Jamal (PR), Alex do PT e Thaís Helena (PT) votaram contra o “congelamento” do imposto. Alex e Thais Helena justificaram que sempre pediram que o reajuste fosse de acordo com a inflação e não poderiam ser incoerentes agora. Já o vereador Dr. Jamal explicou que votou a favor do reajuste por acreditar que o município pode ter prejuízo na arrecadação com o congelamento, já que o orçamento enviado à Casa já conta com o reajuste.

Thais ressalta que no ano passado os vereadores que hoje votam contra os 5,3% foram favoráveis aos 15% proposto por Nelsinho e apenas ela e Alex foram contra. Assim, analisa que a decisão foi marcada por questão política. A vereadora avalia que agora o novo prefeito, Alcides Bernal (PP), terá que ver o que poderá fazer para corrigir as perdas.

Jornal Midiamax