Geral

Bovespa tomba mais de 2% pelo segundo pregão seguido, e dólar sobe a R$ 2,042

A Bovespa reduziu as perdas no final do pregão, mas ainda assim tombou mais de 2% pelo segundo dia seguido nesta segunda-feira (23), seguindo o pessimismo dos mercados internacionais. É crescente o temor de que a Grécia saia da zona do euro, e de que a Espanha tenha que pedir um resgate, após uma segunda […]

Arquivo Publicado em 23/07/2012, às 21h05

None
A Bovespa reduziu as perdas no final do pregão, mas ainda assim tombou mais de 2% pelo segundo dia seguido nesta segunda-feira (23), seguindo o pessimismo dos mercados internacionais. É crescente o temor de que a Grécia saia da zona do euro, e de que a Espanha tenha que pedir um resgate, após uma segunda região do país indicar que precisará de ajuda do governo.
O Ibovespa, principal índice da Bovespa, fechou em baixa de 2,14%, aos 53.033,96 pontos. Na mínima do dia, o índice chegou a cair 3,66%. O giro financeiro do pregão foi de R$ 5,4 bilhões. Em julho, a Bovespa acumula perdas de 2,43% e no ano, de 6,55%. Veja ainda no UOL a cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.
O dólar comercial avançou pelo segundo dia em relação ao real, com investidores evitando ativos de risco e buscando segurança na moeda norte-americana. A cotação do dólar comercial fechou com valorização de 0,92%, a R$ 2,042 na venda. Em julho, a valorização chega a 1,60% e no ano, a 9,29%.
“Está ficando claro que a Espanha precisará de ajuda e a percepção é de que a Itália será a próxima, e de repente, a Europa está enfrentando a UTI de novo”, disse o diretor de estratégia e produtos da Infinity Asset, André Paes.
Investidores também voltaram a especular sobre eventual saída da Grécia da zona do euro, após reportagem da revista alemã “Der Spiegel” no fim de semana ter afirmado que o Fundo Monetário Internacional (FMI) poderia se recusar a continuar dando apoio à Grécia. A notícia foi refutada pelo fundo nesta segunda-feira. 
Ações de destaque na Bovespa
Dentre as ações de peso na Bovespa, a preferencial da Vale (VALE5.SA) caiu 2,64%, a R$ 36,88, e a da Petrobras (PETR4.SA) teve queda de 1,15%, a R$ 18,96. OGX (OGXP3.SA) perdeu 3,67%, a R$ 5,25.
Bradesco (BBDC4.SA) caiu 4,78%, a R$ 29,07, após o resultado do segundo maior banco privado brasileiro ter desapontado o mercado. A instituição reduziu a previsão de crescimento do crédito em 2012.
Quinze dos 67 ativos do Ibovespa fecharam em alta, liderados por LLX (LLXL3.SA), empresa do grupo de Eike Batista, que saltou 12,12%, a R$ 2,59. Fora do índice, a CCX (CCXC3.SA), também de Eike, subiu 11,24%, a R$ 4,75. 
Espanha preocupa investidores
A preocupação com o futuro dos países europeus voltou a afugentar investidores das Bolsas e motivar a busca por ativos mais seguros, como os títulos do Tesouro norte-americano. 
“Vimos uma fuga de risco muito grande hoje”, disse um operador de uma corretora paulista que pediu para não ser identificado. “Depois de uma realização no mercado na sexta-feira, hoje predominou aquele sentimento de que a situação da Espanha pode ser pior do que se imaginava.”
A notícia de que a região espanhola da Múrcia estaria pronta para seguir os passos de Valência e pedir socorro financeiro do governo central assustou o mercado. Segundo a imprensa local, mais seis regiões estariam prestes a fazer o mesmo.  
A preocupação com a capacidade de a Espanha honrar suas dívidas voltou à tona, após os rendimentos dos títulos da dívida espanhola de 10 anos chegarem a 7,596%, nível mais alto desde a criação do euro, em 1999.
A economia doméstica também preocupa. “O investidor está mais cauteloso com o Brasil”, disse o economista Gustavo Mendonça, da Oren Investimentos. “O país desacelerou muito forte e as perspectivas de longo prazo pioraram muito.” 
Bolsas internacionais
Os principais índices acionários dos Estados Unidos também fecharam em baixa pelo segundo pregão seguido, devido às preocupações com a Espanha e derrubados também por fracos resultados corporativos.
O índice Dow Jones, referência da Bolsa de Nova York, recuou 0,79%, para 12.721 pontos. O índice Standard & Poor’s 500 teve desvalorização de 0,89%, para 1.350 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 1,20%, para 2.890 pontos. 
As ações europeias fecharam em forte queda , com o índice chave de blue chips registrando sua maior baixa em três semanas, atingidas pelos temores crescentes com a Espanha. 
Em Londres, o índice Financial Times fechou com baixa de 2,09%, a 5.533 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX perdeu 3,18%, para 6.419 pontos. Em Paris, o índice CAC-40 teve baixa de 2,89%, a 3.101 pontos.
As ações asiáticas fecharam em baixa, também devido às preocupações com a economia espanhola. 
A média de ações Nikkei do Japão recuou 1,86%, após os mercados de ações globais serem atingidos na sexta-feira pelo pedido de ajuda financeira da região espanhola de Valência ao governo central. (Com informações da Reuters)
Jornal Midiamax