Geral

Vítima de espancamento nas Lojas Americanas terá que reconstruir o nariz

Márcio Antônio de Souza, 33, teve o osso do nariz completamente destruído. Ele será analisado próxima sexta-feira (6) na Santa Casa e deverá receber uma prótese de titânio. Além do nariz quebrado, Márcio tem dificuldades para escutar, devido à lesões no ouvido esquerdo, e problemas com o olho direito, que já consegue abrir, porém dói com a claridade.

Arquivo Publicado em 02/05/2011, às 14h13

None
661177226.jpg

Márcio Antônio de Souza, 33, teve o osso do nariz completamente destruído. Ele será analisado próxima sexta-feira (6) na Santa Casa e deverá receber uma prótese de titânio. Além do nariz quebrado, Márcio tem dificuldades para escutar, devido à lesões no ouvido esquerdo, e problemas com o olho direito, que já consegue abrir, porém dói com a claridade.

Márcio Antônio de Souza, 33, espancado último dia 23 de abril no interior das Lojas Americanas em Campo Grande, teve o osso do nariz completamente destruído. Márcio será analisado próxima sexta-feira (6) na Santa Casa e deverá receber uma prótese de titânio para substituir o osso e reconstruir o nariz.


Márcio foi recebido na manhã desta segunda-feira (2), juntamente com familiares, a advogada Regina Bezerra e o vereador membro da comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal Marcos Alex (PT), pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional MS, Leonardo Duarte para reforçar o pedido de acompanhamento do caso e providências cabíveis pela entidade.


Além do nariz quebrado, Márcio tem dificuldades para escutar, devido à lesões no ouvido esquerdo, e problemas com o olho direito, que já consegue abrir, porém dói com a claridade.


Segundo sua advogada, Regina Bezerra, Márcio deverá novamente comparecer à Delegacia para retificar o boletim de ocorrência que fez contra as Americanas e o segurança responsável pelo espancamento. Deverão ser acrescentadas detalhes do caso, além da informação que o agressor teria passagens pela polícia, não sendo réu primário.


Ainda segundo Márcio, as Lojas Americanas não realizou qualquer tipo de contato, nem mesmo através de seus advogados.


Outros casos


Em novembro do ano passado dois jovens doentes mentais apanharam por conta de um CD de música infantil, na unidade 2 da empresa que fica na Rua 14 de julho, em frente à praça Ary Coelho.


A reportagem obteve informações indicando que em novembro do ano passado os alunos M.S e J.L., que são de uma entidade que atendende deficientes portadores de deficiência mental foram levados para um cômodo depois de serem flagrados com um CD da cantora Xuxa.


Protestos


Neste 1º de maio, Dia do Trabalhador, manifestantes protestaram  em frente à uma filial das Lojas Americanas em São Paulocontra o caso de espancamento contra um trabalhador negro por um segurança particular das empresa em Campo Grande.


Segundo integrantes da ONG Educafro, o ato pacífico marcado na Praça da Sé, no centro de São Paulo, acabou em confronto com a Polícia Militar

Jornal Midiamax