Geral

Varredores de rua reclamam da falta de condições de trabalho em Três Lagoas

Três Lagoas ficou sem o serviço de varrição das ruas durante a manhã de ontem (12), quando os varredores pararam as atividades para reivindicar melhores condições de trabalho. Segundo os trabalhadores, a empresa responsável pela varrição de rua no município está adotando algumas mudanças no cronograma de serviço que prejudica os funcionários. Uma das reclamações […]

Arquivo Publicado em 13/03/2011, às 13h12

None

Três Lagoas ficou sem o serviço de varrição das ruas durante a manhã de ontem (12), quando os varredores pararam as atividades para reivindicar melhores condições de trabalho. Segundo os trabalhadores, a empresa responsável pela varrição de rua no município está adotando algumas mudanças no cronograma de serviço que prejudica os funcionários.


Uma das reclamações seria com relação à proibição de que o serviço seja feito em grupos nas ruas da cidade. Em cada quarteirão devem permanecer apenas dois varredores trabalhando. “Eles estão querendo mostrar que tem bastante varredor, por isso estão espalhando vários funcionários nas ruas, mas o serviço não fica bem feito”, alegam.


Eles reclamaram ainda que a empresa não disponibiliza os equipamentos necessários para os varredores trabalharem. “Eles não oferecem luvas, não disponibilizam cones o suficiente para sinalização das ruas, há um descaso”, disseram os trabalhadores que preferiram não citar os nomes.


A Unidas, empresa responsável pelo serviço de varrição, rebateu as reclamações dos varredores e afirma que está cumprindo o cronograma de serviços determinado pela Prefeitura.


Ainda segundo a empresa, antes os varredores não trabalhavam aos sábados, mas agora terão que trabalhar. Mesmo assim, garante que a carga de horário é respeitada e que os varredores que descumprirem a determinação terão que ser substituídos.

Jornal Midiamax