O presidente regional do PSD, ex-senador e empresário Antonio João Hugo Rodrigues, deu sinal verde para o PSD de   iniciar as conversações para formação de um bloco de oposição para derrotar  “o atraso e o mandonismo que tanto tem prejudicado a cidade e sua população”, disse.

Demonstrando força política, o PSD de Nioaque reuniu cerca de 150 pessoas na Câmara, entre autoridades e lideranças. Estiveram presentes o ex-prefeito Valdir Couto e seu  filho Valdir Jr, do PP;  ex-prefeito Noé Nogueira, vereador Ademar Michalski, representando o presidente da Câmara, Lauro Albuquerque do PV, Professor Paulinho do PT, Ercy Santos, Sr. Isnar e Jerônimo, além do PTB, PMN e PPS.

A decisão de lançar apenas um nome para a sucessão em 2012 foi unânime, conforme havia sido proposta por Antônio João, que reiterou  ser “necessário que o grupo entenda que para ser forte tem que se manter coeso em suas posições  e colocamos o PSD a disposição para dar apoio total ao projeto de devolver a prefeitura a população”.

O anfitrião e promotor da reunião, vereador e presidente do PSD de Nioaque, Jancer Vaz Moura, disse que o partido deverá dobrar o numero de filiados, hoje em torno de 100 pessoas, até o início do ano que vem. ”Além de saúde, educação, assistência social etc., sofrerem total abandono, Nioaque se transformou num município de aspones”, criticou o vereador.

Segundo dados oficiais divulgados pelo PSD, a cidade de pouco mais de  18 mil habitantes apresenta mais  de 70 cargos comissionados, entre secretários, assessores, diretos de departamentos, chefes de sessão.

“Enquanto os funcionários de carreira incluindo professores e os da  área da saúde penam, inclusive com o fechamento de nosso único hospital, a prefeita insiste em criar  mais 15 cargos de comissão com salários que chegam a três mil e quatrocentos reais” , denunciou o vereador Jancer Vaz Moura.

(Com informações da Assessoria)