Mais determinada que nunca a participar de uma edição dos Jogos Olímpicos, a nadadora Joanna Maranhão não quer saber de descanso. Nesta quarta-feira, menos de uma semana após a Cerimônia de Encerramento dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em que ganhou duas medalhas de prata e uma de bronze, a pernambucana desembarcou na Espanha, onde irá realizar um período de treino intesivo visando os índices para participar dos Jogos de Londres no ano que vem.

Sob a batuta de sua técnica, Rosane Carneiro, ela passará três semanas no centro de treinamento da cidade de Serra Nevada, tendo como prioridade diminuir seus tempos nos 200m e 400m medley e nos 200m borboleta.

– Essas três provas são minhas prioridades. Eu e a Rosane acreditamos muito no trabalho que vem sendo feito. Tenho que fazer 2m13s35 nos 200m medley, 4m41s74 nos 400m medley e 2m08s95 nos 200m borboleta.

No Pan do México, Joanna marcou 2m15s08 nos 200m medley, 4m46s33, nos 400m, e 2m13s00 nos 200m borboleta. A nadadora, que participou de uma edição dos Jogos Olímpicos pela primeira vez aos 17 anos, em Atenas 2004, procura não se deixar abater pela saudade para alcançar o objetivo de ganhar uma medalha na que será sua terceira participação.

– Eu sinto muita saudade de casa então procuro fazer disso a minha motivação, procuro fazer essa distância valer a pena. Acordo todos os dias com vontade de dar um passo a frente nos treinos. Quando o corpo estiver muito cansado, vou treinar a parte técnica e por aí vai. Não é fácil, mas há muito tempo que eu não sentia tanto prazer em treinar, então me concentro nisso.

Em Atenas, Joanna igualou o melhor resultado da natação olímpica feminina do Brasil após conquistar o quinto lugar nos 400m medley. Já nos Jogos de Pequim em 2008, não alcançou resultados expressivos. Para a atleta, tratam-se de momentos distintos, de Atenas a Pequim e de Pequim até o momento atual, após a conquista das medalhas no Pan de Guadalajara.

– As conquistas do Pan foram resultado desse periodo de treinamento que fiz com vontade. Fui readquirindo isso (o prazer nos treinos) aos poucos. Na base de muita conversa com a Rosane e com minha nutricionista também. Quando você vê seu corpo mudando, sente a diferença na água, isso também me motivou.

Desde o ano passado, Joanna vem seguindo uma puxada rotina de treinos e cuidados com a alimentação. A nadadora, que é atleta do Exército desde o final de 2009 e do Flamengo desde o final de agosto deste ano, perdeu sete quilos nesta nova etapa de sua trajetória no esporte. Ela vive na ponte aérea entre o Rio de Janeiro, onde treina, Recife, onde mora sua família, e Belo Horizonte, onde mora seu namorado, o judoca Luciano Corrêa.

Joanna Maranhão voltará ao Brasil no dia 25 de novembro e terá a primeira chance de carimbar o passaporte para Londres durante o Open de Natação no Rio de Janeiro, entre os dias 14 e 18 de dezembro, no Parque Aquático Maria Lenk.