Na próxima sexta-feira (25), data da morte do “Banguela dos Lábios de Mel” (Marçal de Souza), os movimentos sociais, representantes de organizações governamentais e não governamentais promovem um ato “Contra a Impunidade e em Defesa dos Povos Indígenas”. A Será às 9 horas no Plenário Júlio Maia, da Assembleia Legislativa de Campo Grande.

Vinte e oito anos depois da morte de Marçal de Souza Tupã I, Mato Grosso do Sul e o mundo acompanham estarrecidos a denúncia dos Kaiowá Guarani sobre mais um crime contra suas lideranças. No dia 18 de novembro, Nisio Gomes, cacique Ñhanderu, foi brutalmente assassinado durante invasão ao acompamento indígena na terra Guaiviry, no município de Aral Moreia.

Nessa quase três décadas desde a morte de Marçal, no entanto, muitas outras vidas guarani foram violentamente retiradas e, na maioria dos casos, sem que os culpados fossem julgados e punidos pela justiça. Entre 2003 a 2011, cerca de 250 índios foram mortos somente em Mato Grosso do Sul.