Geral

Nos pênaltis, Cerro Porteño elimina o Estudiantes na Libertadores

Depois de 180 minutos de futebol levando em conta os jogos de ida, na Argentina, e volta, no Paraguai, e nenhum gol marcado, Cerro Porteño e Estudiantes decidiram a vaga nas quartas de final da Libertadores nos pênaltis. E o Cerro, jogando em casa, no estádio La Olla, em Assunção, levou a melhor, vencendo por […]

Arquivo Publicado em 06/05/2011, às 10h08

None

Depois de 180 minutos de futebol levando em conta os jogos de ida, na Argentina, e volta, no Paraguai, e nenhum gol marcado, Cerro Porteño e Estudiantes decidiram a vaga nas quartas de final da Libertadores nos pênaltis. E o Cerro, jogando em casa, no estádio La Olla, em Assunção, levou a melhor, vencendo por 5 a 3 e avançando na competição sul-americana para enfrentar agora quem passar do duelo entre Jaguares, do México, e Junior Barranquila, da Colômbia.


Apoiado pela torcida, o Cerro começou buscando o jogo, mas tinha grandes dificuldades de furar o bloqueio argentino. A primeira etapa foi muito fraca tecnicamente, com inúmeros erros de passe. Numa das poucas chances, aos 34 minutos, Desábato cabeceou com perigo pelo Estudiantes. A resposta dos donos da casa veio aos 41, em conclusão de primeira de Fabbro, mas a bola foi para fora.


Todos os jogadores do Cerro marcam nos pênaltis


O segundo tempo continuou com pouca técnica, mas ganhou em emoção já que os dois times saíram mais para o jogo. Aos 4 minutos, Fabbro bateu forte para a defesa de Orión. Aos 19, a melhor oportunidade até então. Pires cruzou da direita, a zaga argentina não conseguiu fazer o corte e a bola sobrou para Nanni, que bateu, mas Fernandez pulou na frente para cortar de carrinho e evitar o gol. Pouco depois foi a vez de Iturbe bater com perigo.


Mas, sem inspiração dos dois lados, a vaga foi decidida nos pênaltis e o Cerro levou a melhor. Todos os jogadores do time paraguaio fizeram os gols, para delírio da torcida. Do lado do Estudiantes, Roncaglia desperdiçou a cobrança em defesa do goleiro Barreto. Festa em Assunção.

Jornal Midiamax