Geral

Explosão em universidade particular provoca queimaduras graves em dois acadêmicos

Incidente ocorreu em laboratório de universidade de Dourados. Estudantes foram transferidos para a Santa Casa de Campo Grande e, até agora, por falta de vaga, ainda não foram internados em ala especializada

Arquivo Publicado em 14/03/2011, às 17h30

None
914582155.jpg

Incidente ocorreu em laboratório de universidade de Dourados. Estudantes foram transferidos para a Santa Casa de Campo Grande e, até agora, por falta de vaga, ainda não foram internados em ala especializada

As famílias de dois estudantes universitários de Dourados que foram vítimas de queimaduras de segundo e terceiros graus em quase metade de seus corpos estão passando horas de angústia e sofrimento nos corredores da Santa Casa em Campo Grande por falta de atendimento adequado.

O acidente aconteceu por volta das 19h30 da última sexta-feira quando os estudantes Aurillo Francine Duarte e Fernando Hirota, ambos com 22 anos de idade, se queimaram durante uma explosão em um dos laboratórios do Centro Universitário da Grande Dourados (Unigran).

José Augusto Duarte Colmam, irmão de Aurillo afirmou que os dois estudantes são estagiários do curso de Farmácia e estavam no laboratório sem a presença de um professor orientador quando aconteceu a explosão. Segundo ele havia no local um recipiente com mais de cem litros de álcool.

Aurillo e Fernando foram levados por uma ambulância do Corpo de Bombeiros para o pronto socorro do Hospital Evangélico de Dourados onde os médicos, segundo os familiares, recomendaram a transferência de ambos para um hospital que tivesse uma UTQ (Unidade de Terapia de Queimados) para evitar o agravamento do quadro dos pacientes.

José Augusto afirmou que somente por volta das três horas da madrugada desta segunda-feira é que os dois estudantes foram transferidos para a Santa Casa de Campo Grande onde segundo ele estão nos corredores do pronto socorro enquanto aguardam vagas na UTI. “Eles chegaram às 06 da manha em Campo Grande com a condição de que iam direto para a UTI e até agora estão abandonados a própria sorte”, reclamou.

A dona-de-casa Maria da Glória Ruiz Duarte, mãe de Aurillo está acompanhando o filho na Santa Casa e disse que vai acionar a universidade na justiça para garantir atendimento de qualidade para o estudante. Segundo João Augusto, o seu irmão e o outro estudante vítima da explosão enquanto estavam no Hospital Evangélico estavam na ala particular, mas na Santa Casa estão sendo atendidos pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

O professor e advogado da Unigran, Adilson Josemar Puhl afirmou que a instituição está oferecendo toda a assistência necessária para as famílias dos dois estudantes e que já solicitou ao Corpo de Bombeiros um laudo sobre as reais causas da explosão no laboratório. Adilson disse que um representante da universidade está acompanhando o caso em Campo Grande.

Enquanto isso João Augusto procurou hoje de manhã uma banca de advocacia para fazer uma consulta sobre o caso. Ele adiantou que deverá acionar a justiça nas próximas horas para garantir a transferência de Aurillo e Fernando para um hospital especializado no atendimento a queimados.



Jornal Midiamax