Geral

Em queima de drogas, secretário de MS defende penalização para dependentes

O secretário de Justiça e Segurança Pública de MS Wantuir Jacini, apontou o usuário como o principal culpado para a disseminação do uso de drogas e automaticamente para o aumento no tráfico

Arquivo Publicado em 10/11/2011, às 15h14

None
1903521274.jpg

O secretário de Justiça e Segurança Pública de MS Wantuir Jacini, apontou o usuário como o principal culpado para a disseminação do uso de drogas e automaticamente para o aumento no tráfico

O secretário de Justiça e Segurança Pública de MS Wantuir Jacini, apontou o usuário como o principal culpado para a disseminação do uso de drogas e automaticamente para o aumento no tráfico. O representante público defende que com a penalização do dependente, a polícia corta o mau no começo.

A afirmação foi feita durante a incineração de mais de 10 toneladas de drogas apreendidas na manhã desta quinta-feira (10), nas caldeiras do frigorífico JBS Friboi, saída de Sidrolândia. Jacini argumenta que a não penalização do usuário permite aumento no consumo das cidades brasileiras.

“A droga não é usada individualmente, na maioria é em grupos, festas, onde pessoas que usam de forma repentina ficam dependentes”, diz. De acordo com o secretário, o número de usuário nos últimos quarenta anos era reduzido e não oscilava. Com as antigas penas para primários e reincidentes, na qual a família era informada, Jacini diz que a eficiência era maior.

Em relação ao outro lado do problema, no caso a fronteira e os grandes traficantes, o secretário diz que ações já são feitas neste foco.

“Nos últimos anos, mais de 70 toneladas foram apreendidas e os grandes envolvidos estão sendo presos todos os dias”, diz.

A nova lei de drogas (Lei 11.343/2006) não mais prevê a pena de prisão (art. 28).

A posse de entorpecente deixou de ser formalmente “crime”, mas não perdeu o conteúdo de infração. Na manhã desta quinta, as autoridades incineraram 10.507.910 toneladas de maconha e haxixe e 390.829 kg de cocaína.

Jornal Midiamax