O governo do presidente de Cuba, Raúl Castro, anunciou nesta segunda-feira (21) mais medidas de abertura da economia ao setor privado. A partir do dia 1º de dezembro, os produtores agrícolas estão autorizados a vender diretamente suas mercadorias para as entidades que trabalham com turismo.

As autoridades informaram que as medidas não substituem as vendas diretas em vigência. O objetivo, segundo o governo, é dar mais “dinamismo, variedade e qualidade” na oferta de produtos turísticos, reduzindo os custos com transporte e perdas.

As medidas, publicadas no jornal oficial Granma e na agência estatal de notícias, Prensa Latina, não foram detalhadas.

As autoridades cubanas estimam que as medidas beneficiem as cooperativas de produção agrícola, crédito e serviços, além das unidades básicas de Produção Cooperativa, assim como as empresas estatais. A decisão, segundo o governo, influencia ainda o sistema de coleta e comercialização da produção agrícola.

Em Cuba, a sociedade sofre uma série de restrições em decorrência do embargo econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos e por países aliados. Vivendo sob uma série de limitações, o governo cubano decidiu nos últimos anos abrir a economia do país autorizando uma série de alterações.

Os cubanos estão autorizados a comprar e vender imóveis e veículos, assim como certas categorias profissionais ganharam permissão para exercer suas profissões de forma autônoma.

Com informações da agência pública de notícias de Cuba, Prensa Latina