Geral

Coprodução brasileira é indicada ao Oscar de melhor documentário

O longa “Lixo Extraordinário”, uma coprodução entre Brasil e Reino Unido que mostra a história de catadores de um lixão no Rio de Janeiro, foi indicado nesta terça-feira ao Oscar de melhor documentário. Filmado ao longo de três anos, o longa acompanha um projeto social do consagrado artista plástico brasileiro Vik Muniz com catadores do […]

Arquivo Publicado em 25/01/2011, às 21h23

None

O longa “Lixo Extraordinário”, uma coprodução entre Brasil e Reino Unido que mostra a história de catadores de um lixão no Rio de Janeiro, foi indicado nesta terça-feira ao Oscar de melhor documentário.

Filmado ao longo de três anos, o longa acompanha um projeto social do consagrado artista plástico brasileiro Vik Muniz com catadores do lixão de Gramacho, em Duque de Caxias (RJ) –considerado o maior da América Latina e cenário de outro documentário premiado, “Estamira”, de Marcos Prado, de 2004. A direção é da inglesa Lucy Walker e dos brasileiros João Jardim e Karen Harley.

O filme revela as montanhas de lixo e o ambiente em que famílias inteiras dividem a cena com urubus na busca por objetos destinados à reciclagem, gerando renda para aproximadamente 3 mil catadores.

A obra já conquistou prêmios de público nos festivais de Sundance e Berlim em 2010, entre outros.

Na categoria documentário, também disputam “Exit through the Gift Shop”, do artista plástico Banksy e Jaimie D’Cruz; “Gasland”, de Josh Fox e Trish Adlesic; “Inside Job”, de Charles Ferguson e Audrey Marrs; e “Restrepo”, de Tim Hetherington e Sebastian Junger.

A entrega do Oscar será no dia 27 de fevereiro, em cerimônia em Hollywood.

Jornal Midiamax