A Coordenadoria-Geral de Perícias (CGP), órgão vinculado à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), já conta com a operação do novo aparelho de análise química, Espectofotômetro de Infravermelho com transformador em Fourier (FTIR).

O equipamento tem como função a análise de substâncias químicas e tóxicas através de um feixe de infravermelho, que detecta o teor e a quantidade dos componentes da amostra investigada. O FTIR é comumente utilizado nos exames de entorpecentes, medicamentos e até mesmo componentes explosivos.

“Ao analisar uma substância, o FTIR aponta a quantidade de cada componente da amostra em forma de gráfico. Esses dados são comparados a uma biblioteca de substâncias que possuímos, com a Polícia Federal, que nos dá parâmetros de considerá-la um entorpecente, um componente tóxico ou até mesmo um explosivo, dependendo da amostra.

Com este equipamento, conseguimos atender 80% dos exames encaminhados para o Instituto de Análises Laboratoriais Forenses (Ialf), tanto da Capital como interior.”, informou o coordenador do Ialf, Nelson Firmino Júnior. Os 20% restantes são exames com resultados imprecisos devido ao alto grau de mistura dos componentes.

Neste caso, as amostras são encaminhadas para a Polícia Federal para exames complementares. “O FTIR é um dos equipamentos utilizados pelo novo laboratório da Divisão Química e Toxicologia do Ialf. Além dele, o laboratório também contará com mais dois equipamentos que permitirão a realização de exames de alcoolemia e detecção de envenenamento.

Dessa forma, a Coordenadoria Geral de Perícias espera chegar ao índice de 80 exames por semana”, informou o perito criminal e coordenador geral de perícias, Alberto Dias Terra. Avaliado em R$ 165 mil, o FTIR é resultado de um convênio entre o Governo do Estado de Mato Grosso do Sul e a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp).

A Cordenadoria Geral de Perícias também faz parte do Plano Estratégico de Fronteiras, lançado pelo governo federal em junho, que pretende modernizar e aparelhar organismos policiais dos 11 Estados fronteiriços intensificando o patrulhamento da fronteira nacional. Com o Plano, a previsão é de que mais três aparelhos FTIR sejam destinados aos municípios de Ponta Porã, Dourados e Corumbá.