Uma Comitiva ligada ao gabinete da Presidênci da República, mais especificamente a Secretária Nacional de Direitos Humanos, está nesta quarta-feira (23) em Ponta Porã, em agenda que tenta esclarecer à presidência dos fatos ocorridos na última sexta-feira (18) na região de Amambai, quando jagunços invadiram o acampamento Tekoha Guaiviry e que,segundo relatos dos indígenas guarani-kaiowá, mataram o cacique Nísio Gomes, líder do acampamento.

Representando a Ministra de Maria do Rosário, o Secretário Executivo da Secretária de Direitos Humanos da Presidência da República, Ramaís de Castro, cargo com status equivalente a de Vice-Ministro, está em Ponta Porã com equipe da pasta, sendo eles, Domingos Sávio, Procurador da República exercendo a função de Ouvidor Nacional de Direitos Humanos. Coordenadora-Geral do Programa de Proteção a Defensores de Direitos Humanos, Clarissa Jokowski, e a assessoria de imprensa da secretaria.

Durante a manhã eles se reuniram com a o coordenador regional da FUNAI em Ponta Porã, Silvio Raimundo da Silva e com o superintendente da Polícia Federal, Edgar Paulo Marcon. Ainda na tarde desta quarta-feira, a comitiva se dirige para a região onde ocorreu a ‘chacina’, nas imediações da MS-386.