Geral

Boliviana é detida com mais de 10 mil medicamentos sem nota fiscal em Corumbá

Uma boliviana de 55 anos, foi detida na manhã deste sábado (24) na barreira montada pelo grupamento tático da Polícia Militar no posto fiscal do Lampião Aceso, na rodovia BR-262. A mulher se identificou como proprietária de um carregamento com mais de 10 mil medicamentos. A mercadoria estava no bagageiro externo de um ônibus. Nenhum […]

Arquivo Publicado em 24/09/2011, às 16h57

None
Uma boliviana de 55 anos, foi detida na manhã deste sábado (24) na barreira montada pelo grupamento tático da Polícia Militar no posto fiscal do Lampião Aceso, na rodovia BR-262. A mulher se identificou como proprietária de um carregamento com mais de 10 mil medicamentos. A mercadoria estava no bagageiro externo de um ônibus. Nenhum dos medicamentos possui documentação fiscal.
De acordo com a PM, vistoria no ônibus que fazia a linha São Paulo-Corumbá encontrou os medicamentos distribuídos em malas de viagem. Mais de 25 tipos de remédios foram encontrados, como: pílulas do dia seguinte, em maior quantidade, com aproximadamente 6 mil exemplares; pomadas para pele, colírios, ampolas de medicamentos injetáveis, remédios diversos para gripe, anabolizantes e até laxantes.
A boliviana assumiu que comprou os medicamentos em lojas de São Paulo, nos arredores da 25 de Março. Ela alegou que levaria os medicamentos para revenda na Bolívia. Esta seria a primeira vez que realizava esse tipo de transação.
O cabo Caio César Velascos, do 6º Batalhão da Polícia Militar, explicou que a forma como os medicamentos foram transportados, indicava que não era a primeira ação. “Os medicamento foram retirados de suas caixas, depois foram muito bem acomodados em sacolas de viagem, o que possibilitaria dificuldade de localização numa fiscalização. As caixas e os remédios eram transportados separadamente, o que indica que esse tipo de transação já havia sido feito outras vezes”, argumentou.
Os medicamentos e a autora foram detidos no local e encaminhados à Delegacia de Polícia de Corumbá. Após o registro do boletim de ocorrências ela deverá ser indiciada por contrabando e descaminho, além de sonegação de imposto. Já os medicamentos deverão serão encaminhados a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária.
Jornal Midiamax