Geral

Suspeito de quebra de sigilo de filha de Serra aceita acareação

O office boy Ademir Estevam Cabral aceitou nesta quinta-feira (9) fazer uma acareação com o contador Antonio Carlos Atella Ferreira, que usou uma procuração falsificada para acessar os dados fiscais de Veronica Serra, filha do candidato do PSDB à Presidência, José Serra. Cabral depôs nesta quinta à Polícia Civil de São Paulo sobre a quebra […]

Arquivo Publicado em 09/09/2010, às 21h34

None

O office boy Ademir Estevam Cabral aceitou nesta quinta-feira (9) fazer uma acareação com o contador Antonio Carlos Atella Ferreira, que usou uma procuração falsificada para acessar os dados fiscais de Veronica Serra, filha do candidato do PSDB à Presidência, José Serra. Cabral depôs nesta quinta à Polícia Civil de São Paulo sobre a quebra do sigilo.


O delegado José Emílio Pescarmona disse que vai propor a acareação a Atella caso o contador mantenha a versão de que foi Ademir que lhe entregou a procuração falsa usada no acesso de dados de Veronica. Atella tem depoimento marcado para esta sexta-feira na Delegacia Seccional de Santo André, às 10h.


Ele deveria ter sido ouvido nesta quarta, mas não compareceu. O depoimento foi remarcado para esta quinta, mas o contador novamente não compareceu, alegando, por meio de seu advogado, que estava doente.


Em entrevista ao Jornal Nacional na semana passada, Atella afirmou que o pedido de acesso aos dados da filha do tucano havia sido feito a ele por Ademir. No depoimento prestado nesta quinta, o office boy negou envolvimento com o caso.


De acordo com a polícia, o office boy disse que Atella costumava passar a ele serviços, e não o contrário, como havia declarado o contador. Sobre a violação dos dados de Veronica Serra, Cabral negou que tivesse visto a procuração falsificada usada para acesso aàs informações fiscais da filha de Serra.


Ademir prestou depoimento por duas horas e também colheu material grafotécnico, para comparação com a assinatura falsificada de Veronica Serra no documento usado para a quebra de sigilo. Em depoimento à Polícia Federal na semana passada, Atella também já havia fornecido amostras de sua caligrafia para comparação.

Jornal Midiamax