Geral

Sindicatos e entidades levarão para ALMS manifestantes vestindo preto contra corrupção

A sociedade civil organizada se mobiliza para cobrar investigação do escândalo de propinas no Parque dos Poderes. Durante reunião nesta quarta-feira (22), na sede da Fetems, foram definidas qual será a agenda de protestos que já reúnem 24 entidades de classe. Amanhã, eles participam da sessão da Assembléia Legislativa, com roupas pretas em protesto contra a […]

Arquivo Publicado em 22/09/2010, às 19h13

None

A sociedade civil organizada se mobiliza para cobrar investigação do escândalo de propinas no Parque dos Poderes. Durante reunião nesta quarta-feira (22), na sede da Fetems, foram definidas qual será a agenda de protestos que já reúnem 24 entidades de classe.


Amanhã, eles participam da sessão da Assembléia Legislativa, com roupas pretas em protesto contra a corrupção. Os manifestantes devem também levar cartazes e faixas.


Está prevista para as 10h uma nova manifestação em frente ao Minitério Público Estadual, órgão que, segundo vídeos que circulam na internet, um de seus membros tem envovimento em ações ilícitas de favborecimento em setenças em troca de repasses em dinheiro. Uma comissão vai protocolar um documento na corregedoria do órgão pedindo investigações.


Ainda nesta quinta-feira, será protocolado outro pedido de investigação no Ministério Público Federal. Há possibilidades de um manifesto com cartazes na frente da instituição.


Na sexta-feira as entidades pretendem fazer pequenas manifestações públicas em diferentes locais com o mesmo objetivo: mostrar a indgnação sobre possíveis atos de corrupção envolvendo os três poderes no Estado.


Paralelamente aos manifestos, as entidades também vão repercutir matérias jornalísticas em 100 mil panfletos que serão distribuídos pra a população, com ênfase nos terminais de ônibus, região central e nos bairos de Campo Grande. Existe ainda a possibilidade de colocar aparelhos televisores em pontos estratégicos sintonizados nos horários dos telejornais. O objetivo é verificar se a mídia televisiva também vai noticiar os manifestos e informações sobre o escândalo resultado da opração uragano, desencadeada pela Polícia Federal em Dourados e que também teria trazido à tona outas denúncias graves.

Jornal Midiamax