Geral

Professoras Indígenas da UFGD escrevem sobre as possibilidades para a Educação

Professoras da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), publicaram dois capítulos no livro “Jogos e Culturas Indígenas: Possibilidades para a Educação Intercultural nas Escolas”. A professora Marina Vinha escreveu sobre “Jogo de tabuleiro como prática educativa intercultural” e Maria Aparecida Rezende publicou sobre a “Oficina de alfabetização para professores Xavante da ...

Arquivo Publicado em 29/12/2010, às 16h42

None

Professoras da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), publicaram dois capítulos no livro “Jogos e Culturas Indígenas: Possibilidades para a Educação Intercultural nas Escolas”.

A professora Marina Vinha escreveu sobre “Jogo de tabuleiro como prática educativa intercultural” e Maria Aparecida Rezende publicou sobre a “Oficina de alfabetização para professores Xavante da Terra Indígena Pimentel Barbosa”.

O livro foi publicado pela editora da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e faz parte do projeto “Jogos Indígenas e Educação: Produção Material Educativo Sobre os Jogos dos Povos Indígenas do Brasil”, desenvolvido com a Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), por meio do Núcleo de Estudos sobre Corpo, Educação e Cultura (COEDUC) – Rede CEDES/SNDEL (Secretaria Nacional de Desenvolvimento de Esporte e de Lazer).

O material é uma coletânea de sete capítulos que traz saberes e práticas tradicionais de mais de vinte grupos, sendo que a maioria dos jogos são descritos por professores indígenas, alguns como co-autores dos capítulos, que fizeram suas formações acadêmicas no Mato Grosso, no Acre, no Amazonas e no Mato Grosso do Sul.

A obra é um material didático primoroso para o trabalho com a temática indígena na escola, mas também para que, nas escolas indígenas de todo o Brasil, os professores indígenas possam recorrer aos saberes e práticas de outros povos para promover a Educação Intercultural.

Jornal Midiamax