Geral

Prefeitura adia lançamento de reciclagem de óleo para o dia 23

A Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur), adiou para o próximo dia 23 o lançamento do Programa de Coleta e Reciclagem de Óleos Residuais de Cozinha (Recol), que será realizado no Mercado Municipal. O objetivo do programa é dar uma destinação final, ambientalmente adequada, […]

Arquivo Publicado em 16/10/2010, às 15h00

None

A Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano (Semadur), adiou para o próximo dia 23 o lançamento do Programa de Coleta e Reciclagem de Óleos Residuais de Cozinha (Recol), que será realizado no Mercado Municipal. O objetivo do programa é dar uma destinação final, ambientalmente adequada, para o óleo de cozinha usado que é jogado na pia, no lixo, no vaso sanitário, nos ralos ou no solo e causa danos ao meio ambiente.


Em contato com a água, esse resíduo líquido passa por reações químicas que resultam em emissão de metano e/ou CO2. Quanto mais o cidadão evitar o descarte do óleo na rede de coleta de esgoto ou no lixo comum, mais estará contribuindo para preservar o meio ambiente. Este óleo será reutilizado e transformado em biodiesel, ração animal, sabão, detergentes e outros derivados. O programa visa também promover a consciência ambiental em todos os setores envolvidos, desde os seus idealizadores até aqueles que, de alguma maneira, possam contribuir doando o óleo de cozinha usado, para que este tenha uma destinação ecologicamente correta.


Como vai funcionar – O programa baseia-se na implantação de um sistema de coleta, com o oferecimento de uma rede de pontos de coleta voluntária do óleo para a população em geral, e a coleta dos resíduos produzidos pelos grandes geradores, tais como condomínios, bares e restaurantes. O programa será apoiado em ações de fiscalização, de sensibilização e educação ambiental.


 Além disso, o programa prevê a articulação de parcerias para garantir o tratamento e destinação final do óleo residual como fonte de matéria-prima para outros produtos. Com estas ações, espera-se a minimização dos impactos causados pela deposição irregular do óleo, a diminuição dos problemas ambientais, redução de resíduos incluindo práticas ambientalmente seguras de reutilização, reciclagem ou disposição adequada. Espera-se também o engajamento da população nas ações propostas, despertando a consciência de corresponsabilidade socioambiental.

Jornal Midiamax