Geral

População vai apontar qualidade da segurança pública estadual

Todas as cidades sul-mato-grossenses com mais de 15 mil habitantes estão participando da primeira Pesquisa Nacional de Vitimização que está sendo coordenada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). A pesquisa acontece até meados de novembro e a tabulação com os resultados deve ser divulgada entre fevereiro e março de 2011. Pesquisadores do Instituto Datafolha […]

Arquivo Publicado em 08/09/2010, às 22h01

None

Todas as cidades sul-mato-grossenses com mais de 15 mil habitantes estão participando da primeira Pesquisa Nacional de Vitimização que está sendo coordenada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp). A pesquisa acontece até meados de novembro e a tabulação com os resultados deve ser divulgada entre fevereiro e março de 2011.


Pesquisadores do Instituto Datafolha e IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas] estão percorrendo 300 cidades brasileiras, incluindo as mais populosas de Mato Grosso do Sul, para traçar um “raio x” da segurança pública através da ótica da população.


Conforme o gestor de Estatísticas e Análise Criminal da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), Francisco Duarte de Almeida, a pesquisa deve ser realizada com cerca de sete mil pessoas no Estado e tem como objetivo fazer o diagnóstico mais aprofundado da segurança pública de acordo com a comunidade.


“Com a pesquisa, será possível identificar as deficiências e os pontos positivos das políticas de segurança que são aplicadas e assim melhorar o serviço oferecido para a população dentro das grandes regiões urbanas”, afirma Duarte.


“É a primeira vez em todo o País que é realizada uma pesquisa de vitimização e isso vai possibilitar uma análise mais completa dos casos que são registrados nas delegacias e também os que não são registrados, que sãos as subnotificações. Com isso, teremos o diagnóstico qualitativo de como está a segurança pública com os dados da população, como perfil de moradia, condições de vida e salário, entre outros”, explica o gestor.


Conforme o Ministério da Justiça, a pesquisa deve mensurar ainda a sensação de segurança da comunidade, investigar as razões da subnotificação de crimes e os riscos de vitimização em diferentes grupos sociais. Outra razão do estudo é constatar as possibilidades concretas de vitimização, a experiência do crime do ponto de vista das vítimas e o atendimento prestado pelos órgãos de segurança pública.

Jornal Midiamax