Geral

Paranaíba: alunos do Projovem estudam língua inglesa

O acesso a filmes estrangeiros, artigos científicos, novidades tecnológicas e arte em geral tornou-se realidade para Weliton da Silva, 16 anos. Ele será um dos 25 alunos de inglês no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Santo Antônio, localizado no Município de Paranaíba, onde são desenvolvidas as atividades socioeducativas do Projovem Adolescente, entre outros […]

Arquivo Publicado em 29/03/2010, às 14h16

None

O acesso a filmes estrangeiros, artigos científicos, novidades tecnológicas e arte em geral tornou-se realidade para Weliton da Silva, 16 anos. Ele será um dos 25 alunos de inglês no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Santo Antônio, localizado no Município de Paranaíba, onde são desenvolvidas as atividades socioeducativas do Projovem Adolescente, entre outros serviços. A expectativa do estudante é que o curso o ajude, no futuro, a ter condições de falar neste outro idioma.


        A língua inglesa está presente em diversas áreas da vida e ambientes profissionais. Tendo isto como ponto de partida, a Prefeitura de Paranaíba desenvolve, há mais de um ano, o projeto de ensino das noções básicas e preliminares de inglês para integrantes do Projovem Adolescente, programa coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). O projeto funciona em parceria com a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems).


       Weliton acredita que o curso vai ajudá-lo, inclusive, na escola. Até mesmo porque o adolescente considera a participação no Projovem uma ótima oportunidade para melhorar suas notas escolares. “Desde que estou no Projovem, aprendi muitas coisas. Eu me sinto mais incentivado para estudar. [Em relação ao inglês], quero aproveitar o curso da melhor maneira”, afirma.


       Experiência


        João Paulo dos Santos tem 18 anos e já se despede do Projovem Adolescente, uma vez que o programa é destinado a meninos e meninas entre 15 e 17 anos de idade. 


       Segundo o adolescente, um dos ganhos foi que ele, finalmente, conseguiu romper com a resistência em frequentar aulas de inglês. “Eu me sentia inseguro e tinha medo de ficar perdido e não acompanhar o curso”, relembra João Paulo, que comemora o fim da insegurança e diz que pretende continuar os estudos em uma escola especializada em línguas. “Eu já sabia que inglês é importante. O que aprendi será aproveitado no acesso à internet, por exemplo”. Assim como Weliton, João Paulo reafirma o quanto o Projovem Adolescente é importante para a inserção e permanência do jovem no sistema educacional.


       Entusiasmo


      A coordenadora do CRAS Santo Antônio, Celina dos Santos, é uma das profissionais entusiasmadas com os resultados do programa no Município. Neste ano, o MDS disponibiliza 100 vagas para atendimento de jovens. Ela avalia que as atividades socioeducativas desenvolvidas pela equipe de profissionais permitem a inclusão social dos participantes da melhor forma possível.


       No caso do inglês, promove a solidariedade e o voluntariado universitário, por conta da parceria com a Uems. Ela acrescenta que os colaboradores (professores) no projeto de inglês não são remunerados. Celina explica que a escolha pelo curso de inglês leva em consideração a importância da língua inglesa no nosso cotidiano e que o estímulo ao estudo do idioma contribui também para melhor compreensão de mundo.


      “Nosso curso reforça o conteúdo escolar. As aulas são desenvolvidas no próprio CRAS, no espaço destinado às atividades do Projovem. Eles utilizam recursos multimídia, como aparelhos de DVD e televisão, para eventuais projeções de vídeos/filmes e outras atividades ilustrativas”.


       O Município de Paranaíba possui dois CRAS que funcionam com recursos do Ministério do Desenvolvimento Social. Um deles é o CRAS Santo Antônio, conhecido por ser uma extensão do CRAS Maria Félix Silva. As unidades públicas estão vinculadas à Secretaria Municipal de Assistência Social.

Jornal Midiamax