Primeira liderança do PMDB de Mato Grosso do Sul a declarar apoio à presidenciável Dilma Rousseff, do PT, o prefeito de Campo Grande, (PMDB) não participará do primeiro ato público de campanha da candidata na Capital, que a acontece amanhã.

O prefeito, que ao declarar apoio, justificou a decisão como gratidão ao governo Lula e à ex-ministra Dilma pelos investimento na Capital, está legalmente apto a ir ao comício, pois o deputado Michel de Temer, do PMDB de São Paulo, é o candidato a vice de Dilma.

Entretanto, Nelsinho se esquiva dizendo que o comício não é da ministra, mas do candidato Zeca do PT. Segundo ele, Lula e Dilma vêm para fortalecer a campanha de Zeca, adversário de seu padrinho político. Sendo assim, o prefeito de Campo Grande deve ter participação tímida na campanha, pois até o momento não fez nenhum ato público em prol de Dilma.

“O comício não é da Dilma. É do adversário do Puccinelli [PMDB] que eu apoio para governador. Portanto não vou”, explicou agora à tarde ao deixar entrevista coletiva na superintendência da CEF (Caixa Econômica Federal), em Campo Grande, na qual divulgou detalhes sobre as obras que serão inauguradas pelo presidente Lula amanhã.

Nelsinho diz que vai estar no aeroporto para recepcionar a ministra, que, como candidata, não pode participar da inauguração de obras que fará o presidente em Campo Grande.

Por volta das 13h30, o presidente Lula desembarca na na Base Aérea de Campo Grande e está previsto almoço com autoridades.

A partir das 15 horas, ele acompanha o presidente na solenidade de entrega de obras do Complexo Cabaça. Nelsinho acompanhará toda a agenda institucional do presidente.

Os candidatos não podem, por força da lei eleitoral, participar de atos institucionais, como as que o presidente fará amanhã.