Geral

Ministro da Pesca libera R$ 1 milhão para os piscicultores de Iguatemi e Mundo Novo

A solenidade de assinatura dos contratos aconteceu no auditório da Escola Salvador Nogueira em Iguatemi na tarde de quinta-feira (30). O ministro fez questão de estar em Iguatemi para assinar os contratos como sua última ação no comando do ministério. Para Iguatemi, foram liberados R$ 535.493,00 que através de convênio com a Prefeitura possibilitará a […]

Arquivo Publicado em 30/12/2010, às 14h56

None

A solenidade de assinatura dos contratos aconteceu no auditório da Escola Salvador Nogueira em Iguatemi na tarde de quinta-feira (30). O ministro fez questão de estar em Iguatemi para assinar os contratos como sua última ação no comando do ministério.

Para Iguatemi, foram liberados R$ 535.493,00 que através de convênio com a Prefeitura possibilitará a construção de vinte e cinco tanques e a recuperação de outros 150 atendendo as necessidades dos pequenos produtores além de investimentos para garantir a assistência técnicas.

O município de Mundo novo foi contemplado com R$ 499.570 que através de convênio com a Prefeitura serão investidos na aquisição de equipamentos e ampliação do frigorífico de peixes da Cooperativa dos Piscicultores de Mundo Novo (COOPISC) que congrega 25 associados.

Os recursos foram viabilizados através de emendas dos deputados federais Waldemir Moka (PMDB) e Vander Loubet (PT). Esta foi a primeira vez que um ministro de estado esteve em Iguatemi e o evento contou com as presenças dos prefeitos de Iguatemi, José Roberto Arcoverde; de Paranhos, Claudio Barcelos; e de Mundo Novo, Antonio Cavalcante. O deputado Vander Loubet foi representado pelo engenheiro Agrônomo Erminio Guedes dos Santos.

O presidente da COPISC, Ilário Vanzin destacou a importância dos recursos liberados pelo Ministério da Pesca e disse que vai continuar junto aos parlamentares de Mato Grosso do Sul em Brasília para conseguir mais investimentos para incrementar o setor de piscicultura que tem grande importância para economia da região Cone Sul e contribuiu para fixar os pequenos produtores no campo.

O prefeito de Iguatemi afirmou que o valor total do projeto será de R$ 2 milhões, mas que esta primeira parcela servirá de estímulo para que os piscicultores se organizem através de suas entidades para fazer da criação de peixes uma opção de emprego e renda para muitas famílias.

Gregolim afirmou que a atividade de piscicultura exige bem menos espaço físico dos agricultores se for comparada com a produção de gado predominante na região “No espaço onde se produz uma tonelada de carne de gado, é possível produz quatro toneladas de carne de peixe” destacou. O ministro considera a piscicultura “uma bela alternativa de renda para a região” analisando a grande quantidade de água a disposição, clima e revelo propício.

O frigorífico de peixe da COPISC absorve toda a produção da região e no momento está com suas atividades paralisadas por causa das obras de reforma, mas depois de pronto deverá processar de quatro a cinco toneladas de carne de peixe/dia. A cooperativa conta hoje com 24 associados e uma produção anual superior a 460 toneladas/ano.

Jornal Midiamax