Geral

Médico é indiciado por homicídio após lipoaspiração que matou jornalista

A Polícia Civil do Distrito Federal indiciou nesta sexta-feira o médico responsável pela cirurgia de lipoaspiração em que a jornalista Lanusse Martins Barbosa, 27, morreu na segunda-feira, em uma clínica particular de Brasília. Ele foi indiciado por homicídio doloso, aquele em que há intenção de matar. Segundo reportagem exibida nesta sexta pelo “Jornal Nacional” da […]

Arquivo Publicado em 30/01/2010, às 00h48

None

A Polícia Civil do Distrito Federal indiciou nesta sexta-feira o médico responsável pela cirurgia de lipoaspiração em que a jornalista Lanusse Martins Barbosa, 27, morreu na segunda-feira, em uma clínica particular de Brasília. Ele foi indiciado por homicídio doloso, aquele em que há intenção de matar.

Segundo reportagem exibida nesta sexta pelo “Jornal Nacional” da TV Globo, o laudo do IML (Instituto Médico Legal) mostra que uma veia que alimentava o rim da jornalista foi perfurada. A cânula usada na cirurgia ultrapassou a parede abdominal e atingiu a veia, provocando hemorragia interna.

“Da intercorrência inicial que foi mencionada pelo médico anestesista até o óbito da vítima transcorreram uma hora e 15 minutos. Tudo deveria ter sido tentado para poder salvar a vida da vítima, como ele não tentou, ele não abriu a vítima, ele foi indiciado neste artigo [homicídio doloso]”, afirmou à reportagem a delegada Martha Vargas.

A delegada indiciou o médico após ouvir sete integrantes da equipe médica e de receber o laudo do IML. O médico apresentou um atestado psiquiátrico, válido por 15 dias, e ainda não prestou depoimento. A família diz que ele está muito abalado.

Jornal Midiamax