Geral

Marina visita local de deslizamento no Rio

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, inaugurou a primeira das Casas de Marina na cidade do Rio, na manhã desta sexta-feira (9), no Morro dos Prazeres, no bairro de Santa Teresa, no Centro. O objetivo das Casas de Marina é ter pequenos comitês de campanha em residências de simpatizantes da candidatura […]

Arquivo Publicado em 10/07/2010, às 00h55

None

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, inaugurou a primeira das Casas de Marina na cidade do Rio, na manhã desta sexta-feira (9), no Morro dos Prazeres, no bairro de Santa Teresa, no Centro.

O objetivo das Casas de Marina é ter pequenos comitês de campanha em residências de simpatizantes da candidatura de Marina.

A candidata disse que o Morro dos Prazeres foi escolhido como uma forma de prestar apoio à população da comunidade, onde 30 pessoas morreram em deslizamentos depois das tempestades no começo de abril.

“Essa foi uma região muito atingida, e é preciso dar atenção à essas pessoas”, ressaltou Marina, acompanhada do candidato ao governo do Rio pelo PV, Fernando Gabeira.

O dono da casa, Flávio Minervino, presidente do Centro de Apoio a Moradores de Favelas de Santa Teresa (Camfast), disse que é contrário à remoção da comunidade do Morro dos Prazeres, proposta pelo prefeito Eduardo Paes, logo após as chuvas.

“Eu nasci e sou criado aqui, e não quero sair. Aqui é a minha casa, e o que precisamos é de obras de contenção de encostas”, afirmou.

Marina defende continuidade das UPPs

O Morro dos Prazeres ainda é dominado por traficantes de drogas, e é uma das comunidades onde o governo do estado pretende implantar uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

“Eu acho que as UPPs estão cumprindo o papel delas, mas, além da repressão ao tráfico, é preciso também ter medidas de prevenção”, disse Marina. “Nós temos que pensar em repressão, inteligência e segurança pública de forma conjugada. E é muito importante também o trabalho em conjunto dos governos federal e estadual”, acrescentou.

À tarde, Marina Silva desceu o morro e foi pedir votos no Largo da Carioca, no Centro da cidade. Debaixo do sol forte do inverno carioca, ela distribuiu adesivos e sorrisos. Ao voltar a falar dos projetos caso seja eleita, Marina tocou no tema da Previdência Social, mas sem detalhar algum plano específico.

“Temos que ter uma política continuada para melhorar as aposentadorias, mas sempre analisando o assunto à luz das contas públicas”, afirmou.

Músico de rua toca ‘Marina’, de Caymmi, ao saxofone

Próximo ao metrô da Carioca, um tradicional músico de rua, cego, que toca saxofone na subida das escadas rolantes da estação, prestou uma homenagem a candidata tocando a música “Marina”, de Dorival Caymmi. E a candidata soltou a voz: “Não pinte esse rosto que eu gosto, e que é só meu. Marina, você já é bonita com o que Deus lhe deu.”

Jornal Midiamax