Geral

Identificar voto na urna é “absolutamente impossível”, diz TRE

Em Corumbá, na última semana para inauguração da sede própria da Justiça Eleitoral na cidade, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), desembargador Luiz Carlos Santini, alertou o eleitor para não dar ouvidos às teorias que pregam que há como identificar o voto na urna eletrônica. Santini disse que a […]

Arquivo Publicado em 15/09/2010, às 12h58

None

Em Corumbá, na última semana para inauguração da sede própria da Justiça Eleitoral na cidade, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE-MS), desembargador Luiz Carlos Santini, alertou o eleitor para não dar ouvidos às teorias que pregam que há como identificar o voto na urna eletrônica.


Santini disse que a urna é inexpugnável e cada eleitor deve decidir de acordo com o que manda a própria consciência, sem ceder a qualquer tipo de pressão para votar neste ou naquele candidato. “Você só deve obrigação à sua própria consciência”, destacou o desembargador.
O presidente do TRE-MS foi enfático na defesa da liberdade do voto e direcionou o alerta: “eleitor, é impossível identificar seu voto na urna eletrônica. Não acredite nessa bobagem que é possível identificar o voto do eleitor. É absolutamente impossível, estou garantindo isso”, declarou o desembargador.


Segundo o magistrado, o momento de exercer o voto é extremamente livre e deve-se decidir seguindo exclusivamente o que dita a própria consciência. “Você tem o poder eleitor, o poder é seu. Exerça-o com consciência. Esse exercício é absolutamente livre e você só deve obrigação à sua própria consciência e à sua inteligência em escolher o melhor”, declarou o Luiz Carlos Santini.


Pagando imposto


Classificando o eleitor como o “verdadeiro proprietário deste país”, o desembargador ressaltou que é o cidadão que mantém o Estado e por isso deve votar livremente sem ceder a qualquer tipo de coação. “O Estado é mantido pelo seu imposto. Não importa se você é pobre ou rico. Não importa se você não tem muitas possibilidades financeiras e compra uma lata de sardinha, você está pagando imposto. Não importa se você é milionário e compra uísque, você está pagando imposto. Por isso, escolha o melhor que você entende, sabendo que o seu voto é absolutamente livre”, reforçou.


“Se alguém disser que pode identificar o seu voto, essa pessoa está mentindo, literalmente mentindo. O voto que você colocar na urna eleitoral é absolutamente sem qualquer possibilidade de identificação”, reforçou Santini.  Numa breve avaliação sobre o transcorrer da campanha política, o Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul foi direto. “Até agora está correndo dentro da normalidade. As representações que chegam ao TRE são absolutamente normais. Não há notícias de algo mais grave. Há denúncias de propaganda irregular, direito de resposta, que são normais em qualquer eleição”, finalizou.


Jornal Midiamax