Geral

Haiti: militares de Corumbá se inscrevem como voluntários

Após o terremoto que devastou a capital do Haiti, Porto Príncipe, no dia 12 de janeiro, o Ministério da Defesa anunciou o envio de mais tropas para o país. O Ministro Nelson Jobim, enviou documento ao Congresso Nacional solicitando autorização para o envio de mais 900 militares do Exército Brasileiro e 400 para o quadro […]

Arquivo Publicado em 26/01/2010, às 12h44

None

Após o terremoto que devastou a capital do Haiti, Porto Príncipe, no dia 12 de janeiro, o Ministério da Defesa anunciou o envio de mais tropas para o país. O Ministro Nelson Jobim, enviou documento ao Congresso Nacional solicitando autorização para o envio de mais 900 militares do Exército Brasileiro e 400 para o quadro de reserva. A proposta foi aprovada nesta segunda-feira (25), pelos deputados e senadores que compõem a Comissão Representativa do Congresso Nacional.

Segundo a 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, em Corumbá, já existe um levantamento de voluntários que querem compor a Força de Paz das Organizações das Nações Unidas (ONU) no país caribenho. Segundo os ministros, Nelson Jobim e Celso Amorim, das Relações Exteriores, as tropas brasileiras reforçariam os trabalhos de assistência humanitária, resgate de feridos e assistência médica e contribuiriam para aumentar a segurança no país, atribuição do Brasil dentro da Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (Minustah).

De acordo com o sargento Romeu Albernaz, que responde pela seção de Comunicação Social da 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira, são 512 voluntários das organizações militares de Corumbá e unidades subordinadas. Este número compreende a 56 voluntários da Companhia de Comando da Brigada (Corumbá-MS); 143 da 17ª Brigada de Fronteira (Corumbá-MS); 146, da 2ª Brigada de Fronteira (Cáceres-MT); 74, da 2ª Companhia de Fronteira (Porto Murtinho) e 93 da 3ª Companhia de Fronteira (Forte Coimbra-MS). A prioridade, segundo o ministério, é chamar aqueles que já serviram no país. Dos 512 voluntários da 18ª Brigada, 25 militares já participaram da missão de paz no Haiti.

O levantamento é preliminar. O comando agora aguarda a quantidade de vagas que serão disponibilizadas para as organizações militares subordinadas a 18ª Brigada de Infantaria de Fronteira.

Bombeiros


Segundo o subcomandante do 3º Grupamento de Corpo de Bombeiros de Corumbá, tenente Rodrigo Lima, dez homens da instituição se colocaram a disposição para trabalhar no Haiti. A lista foi feita para compor o cadastro de reserva a pedido do Governo do Estado.

Jornal Midiamax