Geral

Ex-superintendente do Incra é solto e vem para Campo Grande

Waldir Cipriano Nascimento, ex-superintendente exonerado do Incra foi solto na noite desta quarta-feira (8). Segundo informações, Waldir já está a caminho da Capital. Waldir foi preso no dia 30/8 em uma operação da Polícia Federal, acusado de participar de um esquema que fraudava divisão de lotes em assentamentos. Manifestações Desde a prisão várias manifestações foram […]

Arquivo Publicado em 09/09/2010, às 01h24

None

Waldir Cipriano Nascimento, ex-superintendente exonerado do Incra foi solto na noite desta quarta-feira (8). Segundo informações, Waldir já está a caminho da Capital.


Waldir foi preso no dia 30/8 em uma operação da Polícia Federal, acusado de participar de um esquema que fraudava divisão de lotes em assentamentos.


Manifestações


Desde a prisão várias manifestações foram contrárias à prisão do ex-superitendente foram promovidas por funcionários e assentados. A última foi hoje antes do habeas corpus ser concedido para Waldir.


O caso


De acordo com a PF, Waldir é acusado de participar de um esquema que fraudava divisão de lotes em assentamentos. Em 2007, o Incra investiu R$ 130 milhões na aquisição de quatro fazendas do Complexo Santo Antônio, em Itaquiraí. Cerca de 17 mil hectares foram desapropriados e distribuídos em quatro projetos de assentamento de sem-terras nos municípios de Santo Antônio, Itaquiraí, Caburei e Foz do Rio Amambai.


No fim de 2008, os lotes foram sorteados de forma irregular. Os melhores lotes foram reservados aos líderes dos movimentos sociais. Além disso, houve desrespeito ao cadastro prévio de acampados – a Relação de Beneficiários (RB), com a distribuição de 497 lotes a pessoas não habilitadas e a desconsideração de 425 pessoas habilitadas que não receberam lotes.


Segundo a PF, a quadrilha também vendia lotes ilegalmente. Alguns viraram sítios de lazer. Também houve recebimento de propina por parte de servidores do Incra para a exclusão de imóveis rurais do processo de avaliação para verificação de produtividade.


A operação envolveu 137 policiais. Além das prisões, foram apreendidas armas e cerca de R$ 60 mil na casa dos envolvidos.


Representantes do Incra se reuniram ontem à tarde em Brasília para apurar as denúncias. Waldir Nascimento nega qualquer participação em esquema e afirma, também em nota, que combateu fraude contra o órgão. (colaborou Valdelice Bonifário)

Jornal Midiamax