Após 38 dias, o reencontrou a Neo Química Arena e deu alegrias ao torcedor alvinegro nesta terça-feira, pela segunda rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana. Com Ángel Romero como a estrela da equipe e alcançando marcas históricas, os comandados de António Oliveira construíram uma goleada exemplar diante do Nacional, do , por 4 a 0.

Romero balançou as redes duas vezes e se tornou o maior artilheiro estrangeiro na história do Corinthians, ultrapassando Paolo Guerrero, com 55 gols. As bolas na rede também fizeram do atacante paraguaio o jogador quem mais gols marcou na Neo Química Arena, 32, deixando Róger Guedes para trás.

O que pode soar como uma vitória protocolar em outras circunstâncias, no caso do Corinthians deve ser interpretada como um triunfo que realinha a equipe. Um time com tantas cicatrizes causadas pelo fracasso no Paulistão precisava de um jogo como este para se reencontrar. Yuri Alberto e Pedro Raul deixaram suas marcas e uma impressão óbvia: eles são mais úteis separados do que como dupla em campo. Os centroavantes não fizeram bem as tarefas juntos. Com Yuri titular e Pedro reserva, o Corinthians funcionou.

Posse de bola não faltou ao Corinthians no começo do jogo. A grande dificuldade foi transformar o domínio em chances efetivas de gol. A equipe paraguaia veio a campo com o claro objetivo de segurar os donos da casa e buscar o contra-ataque.

Coube novamente a Ángel Romero levar o Corinthians à meta. Na esquerda, Wesley cruzou para a entrada da área, Vera arriscou o chute, mas errou, a bola sobrou para o paraguaio que emendou e fez o primeiro gol alvinegro em Itaquera, aos 22 minutos.

Depois de inaugurar o marcador, o Corinthians criou uma série de oportunidades. Yuri Alberto e Félix Torres perderam gols inacreditáveis. Até o apito final da etapa inaugural, os donos da casa continuaram mais perigosos, mas, diante de um rival traiçoeiro e com tamanha superioridade técnica, não se pode desperdiçar tantos gols.

No retorno do intervalo, o técnico do Nacional, Victor Bernay, promoveu a entrada de Arévalo no lugar de Caballero. O objetivo era que o novo atacante se destacasse ofensivamente. No entanto, quando foi ajudar na marcação, cometeu uma grave falta ao pisar no tornozelo de Félix Torres e foi expulso de campo, aos 15 minutos, com o auxílio do VAR.

Dada a vantagem numérica, só havia uma alternativa para o Corinthians. O time alvinegro partiu para o ataque. Yuri Alberto se redimiu das falhas na etapa inaugural e foi às redes. Mais uma vez com participação fundamental de Romero, que fez uma assistência na medida para Yuri Alberto marcar, aos 18.

Não demorou muito para o Corinthians anotar mais um. Aos 28 minutos, Yuri Alberto e Romero inverteram seus papéis. Dessa vez, o paraguaio recebeu um passe de cabeça na entrada da pequena área e não teve dificuldades para aumentar o placar. Pedro Raul fechou o placar após assistência de Coronado e cabeceou para marcar.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 4 x 0 NACIONAL-PAR

CORINTHIANS – Cássio; Fagner (Matheus França), Félix Torres, Gustavo Henrique e Hugo; Raniele, Fausto Vera (Paulinho) e Rodrigo Garro (Igor Coronado); Ángel Romero, Yuri Alberto (Pedro Raul) e Wesley (Pedro Henrique). Técnico: António Oliveira.

NACIONAL – Antony Silva; Blasi, Núñez, Ojeda e Rivas; Cáceres (Morel), Fernando Alfaro (Santacruz) e Luis Alfaro; Lugo (Alan Gómez), Tiago Caballero (Arévalo) e Gustavo Caballero (Marcelo González). Técnico: Victor Bernay.

GOLS – Ángel Romero, aos 22 minutos do 1º tempo; Yuri Alberto, aos 18, Romero aos 28, Pedro Raul aos 43 minutos do 2º tempo.

CARTÕES AMARELOS – Paulinho, Fagner e Gustavo Caballero.

CARTÃO VERMELHO – Arévalo.

ÁRBITRO – Jhon Ospina (COL).

PÚBLICO – 32.351 presentes.

RENDA – R$ 1.999.933,10.

LOCAL – Neo Química Arena, em (SP).