Diante de um futebol apático e sem nenhuma inspiração, e com direito a pênalti desperdiçado por Endrick, o Brasil foi presa fácil em sua estreia no quadrangular do Torneio Pré-Olímpico, ao ser derrotado pelo por 1 a 0, nesta segunda-feira, em Caracas. O resultado do confronto atesta o baixo nível técnico apresentado pelo time do treinador Ramon Menezes na competição. Este foi o segundo revés seguido dos brasileiros que, na última rodada da fase de grupos, já tinham perdido para a Venezuela.

A última vez que a seleção havia sido derrotada em duas partidas consecutivas em edições de torneio Pré-Olímpico foi em 1980. Na ocasião, o selecionado brasileiro foi batido pela Argentina e, na sequência, caiu diante da Colômbia.

A derrota coloca pressão na luta por uma das vagas para os Jogos de Paris-2024. A segunda rodada acontece nesta quinta-feira e a seleção brasileira encara a Venezuela no jogo de fundo. Antes, paraguaios e argentinos se enfrentam. Só os dois primeiros garantem a classificação.

O Brasil chegou para o duelo com o Paraguai como a equipe que mais pontuou no torneio e líder do Grupo A. Já o Paraguai garantiu sua participação nesta etapa decisiva como segundo colocado do Grupo B.

Antes do jogo, o técnico Ramon Menezes ganhou um problema de última hora. O volante Marlon Gomes, do Vasco, teve confirmada uma fratura na fíbula esquerda após exame de imagem e foi desligado do elenco. Esta não foi a primeira baixa por motivo de contusão. Titulares nos dois primeiros jogos da seleção na fase de grupos, o zagueiro Michel, do Palmeiras, e o lateral-esquerdo Kaiki Bruno, do Cruzeiro, também foram cortados por causa de lesões musculares.

Em campo, o Paraguai demonstrou mais padrão de jogo e aproveitou as falhas de posicionamento do setor defensivo brasileiro para ameaçar o gol de Mycael utilizando as jogadas de bola aérea.

Com dificuldade para se impor e imprimir seu ritmo, o Brasil dependeu do brilho de Endrick para aparecer no ataque. Aos 14min, ele driblou o goleiro mas, sem ângulo, cruzou para pequena área facilitando o corte da zaga. A melhor chance, porém, veio em uma penalidade.

Em sua jogada característica, ele entrou na área, protegeu bem a bola e foi derrubado. Após muita demora, o goleador foi para a cobrança, mas o tiro saiu rasteiro e no meio do gol, facilitando a defesa do goleiro paraguaio.

Sem criatividade, o Brasil viveu de lampejos de seus dois atacantes. Em outra bela investida do atacante do Palmeiras, John Kennedy ganhou uma assistência primorosa para abrir o placar. A conclusão, porém, acabou indo para fora.

Diante de um time frágil na defesa,o Paraguai achou seu gol nos acréscimos. Após cobrança de escanteio, Viera deu um chutão para o alto. Peralta entrou na área brasileira sem marcação e, de cabeça, fez 1 a 0, aos 47 minutos.

Na etapa final, Gabriel Pec entrou no time na vaga de Rikelme, mas o panorama não mudou. Ramón seguiu mexendo na equipe e chegou até a sacar Endrick para a entrada de Giovane mas não conseguiu ser efetivo.

Desorganizado, o Brasil atacou sem conseguir ameaçar o gol dos paraguaios que administraram o tempo e garantiram a vitória nesta rodada de abertura do quadrangular decisivo do Torneio Pré-Olimpico.

FICHA TÉCNICA:

BRASIL 0 X 1 PARAGUAI

BRASIL – Mycael; Khellven, Arthur Chaves, Lucas Fasson e Rikelme (Gabriel Pec); Bruno Gomes, Andrey Santos, Alexsander e Gabriel Pirani (); John Kennedy e Endrick (Giovane). Técnico: Ramon Menezes.

PARAGUAI – Angel González; Alan Nuñez, de Jesus, Flores e Rivas (Parzajuk); Peralta, Viera, Gómez e Leguizamón (Román); Marcelo Fernandez e Marcelo Pérez (Cantero). Técnico: Carlos Jara.

GOL – Peralta, aos 46 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Lucas Fasson, Arthur Chaves e Marquinhos (Brasil) Marcelo Fernández, Cardozo e Gómez (Paraguai).

ÁRBITRO – Roberto Pérez (PER).

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis

LOCAL – Estádio Brígido Iriarte, em Caracas (VEN).